''Escutei o meu coração'', diz Kaká

Meia é exaltado pelos italianos por recusar proposta milionária do City

Milão, O Estadao de S.Paulo

21 de janeiro de 2009 | 00h00

Os jornais italianos não economizaram tinta para elogiar a decisão de Kaká de recusar a oferta milionária do Manchester City. Carlo Ancelotti, o técnico do Milan, exaltou seu comportamento. Os torcedores festejaram a permanência do principal jogador da equipe, eleito o melhor do mundo de 2007. E Kaká, aliviado, pronunciou-se pela primeira vez desde que as negociações tiveram início, na semana passada.A entrevista foi dada ao canal oficial do clube de Milão. "Escutei o meu coração", declarou o meia, de 26 anos. "Todas as mensagens que recebi me convenceram a escutar meu coração, e foi o que fiz." Seu coração disse "não" a uma proposta que teria chegado a 19 milhões anuais de salário, algo perto de R$ 6 milhões por mês. O Milan, caso a transação fosse concretizada, embolsaria mais de 100 milhões de libras, cerca de R$ 340 milhões. Seu pai, Bosco Leite, estava fechando o negócio com representantes do Manchester City, na noite de segunda-feira, quando recebeu uma ligação de Kaká pedindo que as conversas fossem encerradas."Houve especulações, nos últimos dias, de que eu havia discutido com meu pai, mas não é verdade, a decisão foi tomada em família, ninguém quis me empurrar para esse ou aquele rumo", comentou o craque. "Minha mulher (Caroline) foi maravilhosa, me ajudou muito e sempre apoiou minhas decisões."Ancelotti se disse "extremamente feliz" com o "fico" de Kaká e afirmou que sua decisão serve de exemplo para os colegas. "Estou realmente contente, finalmente pude gritar de felicidade", comentou o treinador. "A decisão do Kaká e do presidente Silvio Berlusconi foi muito corajosa, era muito dinheiro em jogo." Ainda de acordo com Ancelotti, a atitude do meia brasileiro vai dar ainda mais moral para a equipe, que busca a recuperação no Campeonato Italiano. A liderança está com a Internazionale, com 43 pontos. O Milan aparece em 3º lugar, com 37. "Vamos correr atrás da Inter, alcançá-la e ultrapassá-la."CITY CRITICA PAI DE KAKÁGarry Cook, diretor-excutivo do Manchester, criticou o Milan e o pai de Kaká. De acordo com o dirigente, Bosco "queria saber apenas da oferta financeira e não se preocupou em ouvir os projetos que o clube tinha para o jogador". "Queríamos transformar o Kaká numa espécie de embaixador do futebol, e usar sua força e seu carisma numa fundação." Cook declarou, também, que o "Milan não suportou a pressão e voltou atrás depois de ter acertado tudo para a venda do atleta".Hoje Kaká será poupado no amistoso contra o Hannover. O zagueiro Thiago Silva estreia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.