Espanha e Brasil novamente decidem Mundial de Futsal

Europeus venceram em 2000 e 2004 , mas torneio passado foi vencido pelos brasileiros

O Estado de S. Paulo

18 de novembro de 2012 | 10h50

A Espanha aguardou quatro anos por sua vingança. Neste domgingo, 18, o país, que domina o futebol de campo com os títulos da Copa do Mundo e das duas últimas edições da Euro, enfrenta o Brasil para reincorporar o Mundial de futsal aos seus domínios.

 

Depois de deixar para trás os brasileiros e conquistar o bicampeonato mundial (2000 e 2004), os espanhóis deixaram o trono em 2008, quando perderam a final para o Brasil no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. Porém, como aquela derrota só foi consumada nas cobranças de pênaltis, a Espanha ostenta uma incrível invencibilidade de 108 jogos.

 

A marcação espanhola, em alguns momentos, atinge um nível de perfeição, como no segundo tempo da semifinal, contra a Itália. O sistema, de tão coordenado, preciso e bem executado, aparenta ser intransponível.

 

Hoje, na final, que se inicia às 10h30 (horário de Brasília), a seleção brasileira, sob o comando de Marcos Sorato, o Pipoca, será testada como nunca antes. O talento individual de Falcão, uma das armas para furar o bloqueio adversário, é um recurso com o qual o treinador não pode contar. Herói da classificação à semifinal, quando marcou dois gols sobre a Argentina, o craque teve performance apagada no jogo posterior, contra a Colômbia.

 

Como não poderia deixar de ser, Pipoca demonstra elevado respeito pelo adversário. "A Espanha, na minha opinião, é a equipe mais completa do campeonato. Faz bem todas as facetas do jogo, além de ter jogadores que desequilibram. Será uma final igual, há grandes jogadores nos dois lados."

 
Tudo o que sabemos sobre:
futsalmundial de futsal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.