Espanhóis dizem que Real admite pagar multa por jovem

De acordo com o diário 'Marca', clube estaria disposto a desembolsar os R$ 84 milhões para ter o 'Messi brasileiro'

Sanches Filho, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2010 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO / SANTOS

A profecia recente do empresário Wagner Ribeiro que o futuro de Neymar será no Real Madrid esta perto de se concretizar. Pelo menos pelas informações do jornal Marca, da Espanha. Na sua edição eletrônica de ontem, o diário publicou que o clube merengue segue os passos do atacante e vai pagar a multa de 30 milhões (recentemente foi aumentada para 35 milhões, R$ 84 milhões pelo câmbio de ontem) para contar com o futebol do garoto de 18 anos na próxima temporada. Como é dono de 60% dos direitos econômicos do jogador, o Santos receberia R$ 50,4 milhões do valor total da multa. Os outros 40% foram adquiridos da família do jogador pelo empresário Delcir Sonda.

O Marca chama Neymar de "Messi brasileiro" como aconteceu com outra promessa santista, Tiago Luís, há dois anos. Na época, o Santos fez um contrato às pressas com Tiago Luís, no qual estipulou multa de US$ 50 milhões, temendo perdê-lo para o mesmo Real Madrid. A transformação na vida do jogador se deu em razão do gol no seu jogo de estreia como titular, mas como jamais ele fez jus ao alto salário e à comparação e acabou sendo emprestado ao Leiria, clube pequeno do futebol português, depois de amargar a reserva durante um ano e em seguida cair no esquecimento.

Mas, desta vez, o jornal Marca não se limitou a comparar Neymar à maior revelação do futebol argentino depois de Diego Maradona e grande destaque do futebol mundial no momento. Em um vídeo de sete minutos são mostrados os gols mais bonitos e os melhores momentos do novo menino de ouro da Vila Belmiro, afirmando que "Neymar está assombrando o seu país, entortando os rivais com a bola colada aos pés". A publicação lembra que o garoto, quando tinha 13 anos. Treinou na base do Real Madrid, chamando a atenção do vice-presidente de esportes, Emílio Butragueño, que queria prendê-lo ao clube.

Neymar só não ficou na Espanha naquela oportunidade porque o Santos agiu rapidamente, dando um apartamento perto da Vila Belmiro à família (morava na Praia Grande), além de 40% dos direitos econômicos do jogador, que passou a ganhar salário de profissional.

O presidente Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro garante que Neymar e Paulo Henrique Ganso vão continuar por muito tempo no Santos e conquistar títulos. Neymar da Silva Santos, ex-jogador de clubes pequenos, pai do astro, acha que o ideal é o seu filho jogar pelo menos mais dois anos no Santos e chegar à seleção brasileira para só depois ir para o futebol europeu. E, aos amigos, Neymar pai revela uma preocupação. "Quem quiser contratar Neymar tem que levar o Ganso antes porque é ele quem enfia as bolas para o meu filho marcar os gols e brilhar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.