Marko Djurica/Reuters
Marko Djurica/Reuters

Espanhol projeta defesa 'mais ativa' na seleção feminina de handebol

Jorge Dueñas vai assumir o cargo em agosto, quando encerrar seu contrato com a Federação Espanhola de Handebol

Estadão Conteúdo

09 de junho de 2017 | 21h34

A Confederação Brasileira de Handebol (CBHb) oficializou nesta sexta-feira o nome do novo treinador da seleção feminina. Trata-se do espanhol Jorge Dueñas, que assumirá o cargo em agosto, quando encerrar seu contrato com a Federação Espanhola de Handebol.

Dueñas comanda atualmente a seleção júnior de seu país, mas já dirigiu a adulta por anos, quando conquistou o bronze no Mundial do Brasil, em 2011, e na Olimpíada de Londres, em 2012. No Rio-2016, por sua vez, ele conduziu o time à sexta posição.

O novo técnico terá a difícil missão de substituir o dinamarquês Morten Soubak, que trabalhou oito anos na seleção brasileira e formou um dos mais importantes times do handebol internacional, ganhando inclusive o título mundial em 2013.

A equipe, contudo, apesar das boas campanhas na primeira fase dos últimos dois Jogos Olímpicos, decepcionou na reta final e foi eliminada nas quartas de final tanto em 2012 quanto em 2016. Algo que Dueñas pretende "consertar" com uma defesa "mais ativa".

"Quero que o Brasil tenha uma defesa mais ativa, com mais chances de recuperar a bola e construir contra-ataques. E no ataque, gosto de explorar as melhores qualidades individuais. Mas o meu estilo de jogo será adequado, também, às características de cada jogadora", apontou o técnico do Brasil no novo ciclo olímpico.

Feliz com a chance de treinar a seleção, Dueñas ponderou que necessitará de um período de adaptação, até que a base do time seja remontada. "Treinar uma seleção como o Brasil é muito motivante. São campeãs mundiais e ficaram perto da medalha no Rio. O handebol no país continua tendo possibilidades de conquistar resultados muito expressivos. Claro que agora é um período de transição e talvez isso demore, mas vamos continuar na elite, brigando por medalhas."

Ainda assim, o novo treinador da seleção se mostrou confiante e garantiu: em todos os campeonatos "chegamos como um dos favoritos. Precisamos aproveitar o que foi construído e explorar esse potencial que temos com novas jogadoras nessa fase de transição. Se temos 16 na equipe em um campeonato, todas precisam participar do jogo, não só nove ou dez, para que, na sétima partida, todas estejam em iguais condições".

Embora ainda tenha contrato com a Federação Espanhola de Handebol, Dueñas está no Brasil acompanhando o Torneio Quatro Nações, competição preparatória para o Pan-Americano de Buenos Aires, na Argentina. A equipe é comandada interinamente por Sérgio Graciano na competição em São Bernardo do Campo.

Tudo o que sabemos sobre:
handebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.