Espanhola atropela rival e perde o ouro

Natalia Rodríguez foi desclassificada nos 1.500 metros

, O Estadao de S.Paulo

24 de agosto de 2009 | 00h00

Como a brasileira Maurren Maggi, a espanhola Natalia Rodríguez também viveu seu drama pessoal no último dia de provas no Mundial de Atletismo de Berlim. Depois de chegar em primeiro na final dos 1.500 metros livres, com tempo de 4min03s36, ela foi desclassificada e perdeu a medalha de ouro por ter se envolvido em um incidente que causou a queda na pista da etíope Gelete Burka. A espanhola ainda dava entrevistas a respeito da vitória quando soube de sua desclassificação, determinada pela Associação Internacional de Federações de Atletismo (IAAF) com base nas imagens da prova. Cerca de 200 metros antes da linha de chegada, Rodríguez derrubou Burka quando tentava ultrapassá-la por dentro da pista. Ela chegou a ir atrás da etíope depois do fim da prova, para saber como ela estava. Mas nem assim a espanhola escapou das vaias do público presente no Estádio Olímpico de Berlim. Maryam Yusuf Jamal, do Bahrein, herdou o ouro, com o tempo de 4min03s74.Rodríguez considerou a desclassificação "injusta". "Não sou uma atleta que gosta de passar com base em cotoveladas. Se fiz aquilo, é porque tinha espaço", protestou.A Real Federação Espanhola de Atletismo (RFEA) ainda apresentou recurso contra a decisão, que foi indeferido. O diretor-geral da RFEA e chefe da delegação do país no mundial, José Luis de Carlos, considerou a decisão "justa".A marroquina Mariem Alaoui Selsouli, quarta colocada na prova dos 1.500 metros no Mundial de 2007, foi pega no teste antidoping e ficou fora da disputa pelo ouro.MARATONAA China obteve seu primeiro ouro na Mundial de Berlim, com a vitória de Xue Bai na maratona feminina. Ela completou a prova em 2h25min15, dez segundos à frente da japonesa Yoshimi Ozaki, que ficou com a medalha de prata. O bronze foi para a etíope Aselefech Mergia, o bronze (2h25min32).As brasileiras não tiveram bom desempenho. A experiente Maria Zeferina Baldaia se sentiu mal depois de cumprir cerca de metade do percurso e abandonou a prova. Ela chegou a ser rapidamente hospitalizada mas, à tarde, já estava de volta ao Hotel Estrel, onde a delegação brasileira está hospedada. A outra brasileira na prova, Adriana Aparecida da Silva, foi a 43ª colocada, com tempo de 2h40min54, recorde pessoal.Com dois ouros obtidos ontem nos revezamentos 4 x 400 metros rasos masculino e feminino, os Estados Unidos encerraram o Mundial de Berlim à frente no quadro de medalhas, com 22 - dez de ouro, seis de prata e seis de bronze. A Jamaica chegou a ficar um dia na primeira colocação na tabela geral e encerrou o torneio com um histórico segundo lugar. Foram 13 medalhas, sete delas de ouro, três das quais obtidas por Usain Bolt, quatro de prata e duas de bronze.O sul-africano Mbulaeni Mulaudzi foi o primeiro colocado na prova dos 800 metros, com 1min45s29. Já o norueguês Andreas Thorkildsen, atual campeão olímpico, confirmou o favoritismo e venceu no lançamento de dardo, com 89,59 metros, seguido por Guillermo Martinez, de Cuba, e Yukifumi Marakami, do Japão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.