Esperança e reclamações. Reações conflitantes depois de nova derrota

Não é hora de jogar a toalha, mas sempre vale a pena reclamar de lances polêmicos. As duas reações marcaram a saída dos corintianos do Estádio dos Aflitos, após a derrota que os deixou mais próximos do rebaixamento. O técnico Nelsinho Baptista preferiu ver aspectos positivos no desempenho de sua equipe. Zelão protestou contra Héber Roberto Lopes por ter marcado o pênalti que decidiu o resultado do jogo."Cabe a mim mostrar as coisas boas também", ponderou o treinador, que tem constatado "evolução" no Corinthians sob seu comando. "Não merecíamos perder", analisou. "Estivemos mais perto da vitória do que o Náutico. Corremos mais, mas infelizmente não conseguimos chegar ao gol."Nelsinho, porém, não abandona o realismo. Pelo menos agiu com bom senso, ao admitir que a situação ficou mais delicada, sobretudo por conta de vitórias de times que lutam para fugir do rebaixamento. "Ficamos um pouco mais distantes de quem está à nossa frente", ponderou. "Mas temos vários jogos ainda para cumprir e precisamos fazer a nossa parte."O técnico corintiano driblou a polêmica e optou pela diplomacia ao analisar o desempenho da arbitragem. "Não posso dizer se foi ou não pênalti", desculpou-se. "Ainda não vi o lance. De qualquer forma, demos o gol para o Náutico, porque a bola estava na mão do Felipe."O zagueiro Zelão não seguiu a linha do chefe. Ele era um dos que estavam indignados com o lance que determinou a vitória do time pernambucano e não teve dúvidas em sua opinião. "Não foi pênalti!", afirmou, com veemência, para emendar. "Infelizmente, nem sempre vence o time que joga melhor."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.