CBB/Divulgação
CBB/Divulgação

Brasil mescla juventude e experiência na estreia do baquete feminino

Seleção brasileira enfrenta os Estados Unidos às 22 horas

NATHALIA GARCIA / ENVIADA ESPECIAL A TORONTO, Estadão Conteúdo

16 de julho de 2015 | 08h57

Com uma mescla de experiência e juventude, a seleção brasileira feminina de basquete já tem um grande desafio logo na estreia nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Nesta quinta-feira, às 22 horas (horário de Brasília), o Brasil encara os Estados Unidos pela primeira rodada do Grupo A.

As duas equipes se enfrentaram 22 vezes na história da competição. De 1955 (Cidade do México) a 2007 (Rio de Janeiro), as norte-americanas somam 16 triunfos contra seis das brasileiras. Apesar do retrospecto ruim, as atletas do Brasil acreditam no bom resultado. "Temos condições de sair com a vitória, mas precisamos jogar nosso basquete. Não precisa ser tanto, só sermos nós mesmas", afirma Kelly.

A pivô, que faz sua quarta participação nesta edição do Pan, vive a expectativa da partida inicial e reconhece a importância do controle emocional durante a competição. "O que a gente vai apresentar ou não pela primeira vez é uma incógnita na minha cabeça porque não sei como elas estão psicologicamente. É uma equipe muito jovem, é o primeiro Pan de muitas meninas. Eu também sou super ansiosa às vezes", admite.

De olho em uma medalha, sem cor específica, Kelly está motivada com a preparação da equipe. "O time fez dois dias de treinos muito bons. Estou muito contente pela evolução. As meninas são muito jovens e, em dois meses de treinamento, elas já evoluíram muito."

Depois dos Estados Unidos, o Brasil terá pela frente os jogos contra Porto Rico na sexta-feira, às 14h30, e contra República Dominicana no sábado, no mesmo horário. O Grupo B é formado por Argentina, Canadá, Cuba e Venezuela. As semifinais serão disputadas no domingo e a briga por medalhas ocorrerá na segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.