Brynn Anderson / AP
Brynn Anderson / AP

Espíritos diferentes marcam disputa entre Kansas City Chiefs e San Francisco 49ers

Jogadores do time de San Francisco procuram mostrar concentração total; adversário não abre mão da descontração

Wilson Baldini Jr., enviado especial a Miami, O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2020 | 04h30

O Super Bowl 54 vai colocar frente a frente dois times completamente diferentes. Dentro e fora de campo. Os dias que antecederam o grande duelo mostraram a descontração do Kansas City Chiefs, diante da concentração total do San Francisco 49ers

Patrick Mahomes e seus companheiros de Kansas, esbanjaram simpatia na quinta-feira, quando receberam a imprensa em sua luxuosa concentração. O quarterback, um dos maiores astros do futebol americano na atualidade, respondeu a todas as perguntas durante os 40 minutos em que esteve à disposição dos jornalistas, em um ambiente muito diferente, por exemplo, do que ocorre no futebol internacional.

O clima entre os jogadores é tão bom que Tyreek Hill chegou a adotar uma postura de jornalista e com seu celular foi “entrevistar” Anthony Sherman. Muitos jogadores aceitaram posar para selfies e até gravaram mensagens para familiares de jornalistas com quem possuem bom relacionamento.

“Nosso time é assim. Muito jovem. Sabe unir concentração e felicidade para estar em campo da melhor forma possível. Precisamos estar felizes para termos um bom desempenho na hora do jogo. O bom humor é importante para relaxar os ânimos”, disse Mahomes.

“A temporada é muito difícil. Se formos ficar nervosos com erros que cometemos ou alguma coisa que não sai como queremos, podemos perder o rumo. O mais legal é que o grupo todo sabe o quanto pode ser descontraído com cada um”, afirmou Sherman, 31 anos, um dos mais experientes do Kansas.

Do lado dos 49ers, a seriedade foi uma marca na entrevista coletiva de quarta-feira. O quarterback Jimmy Garoppolo chegou sorrir, mas ficou evidente que o jogador de 28 anos possui uma missão particular muito importante.

Garoppolo foi reserva do astro Tom Brady, no New England Patriots, nas vitórias sobre o Seattle Seahawks, no Super Bowl 49, e diante do Atlanta Falcons, no Super Bowl 51.

Após três temporadas e meia no banco de Brady, Garoppolo sonha finalmente em atingir o auge e responder a todas as expectativas colocadas sobre ele para ser o substituto do grande quarterback dos Patriots.

Dentro de campo, San Francisco possui uma defesa muito forte, enquanto Kansas City aposta na imprevisibilidade de Mahomes, que terá pela frente Richard Sherman.

O astro falastrão da defesa dos 49ers, que assinou contrato com o time sem usar empresários, colocou metas de desempenho, bateu todas e depois foi bater boca com os críticos nas redes sociais. Estão são algumas das atrações do Super Bowl deste domingo, o 11.º em Miami. 

* Repórter viajou aos EUA a convite da ESPN, transmissora oficial da NFL

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.