Divulgação
Divulgação

Esportes na neve têm histórico de graves acidentes

A brasileira Lais Souza foi a última atleta registrada na lista

O Estado de S. Paulo

29 de janeiro de 2014 | 11h49

SÃO PAULO - O acidente envolvendo a brasileira Lais Souza, que se chocou contra uma árvore enquanto esquiava nos Estados Unidos, não é o primeiro sofrido por atletas profissionais. A ex-ginasta, que machucou a coluna, entra para uma seleta lista de esportistas que também foram parar no hospital, após se machucarem na neve. Em alguns casos, houve até mesmo mortes.

As primeiras ocorrências registradas aconteceram em 1964. Nos jogos de inverno de Innsbruck, houveram duas mortes durantes os treinos. Após perder o controle em uma descida, o esquiador Ross Milne se chocou contra uma árvore e não resistiu aos ferimentos. O outro óbito ocorrido foi o do britânico Kazmierz Kay-Skrzperski, que sofreu acidente enquanto treinava para as provas de luge.

Em 1992, a Olimpíada de Inverno de Albertville marcaria a estreia do esqui de velocidade nos jogos. Porém, a modalidade ficou inicialmente conhecida pela morte do suíço Nicolas Bochatay. Enquanto treinava para a final da competição, o atleta de 27 anos se chocou contra um caminhão de retirar neve e faleceu na hora.

Nos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver, que ocorreram em 2010, houve um caso de morte logo no primeiro dia. Enquanto dava as primeiras voltas antes de a prova de luge começar, o georgiano Nodar Kumaritashvili bateu em uma pilastra quando seu trenó atingia 147 quilômetros por hora. Mesmo levado ao hospital, o atleta de 21 anos não resistiu aos ferimentos.

Neste mesmo início de ano, ocorreu outro acidente além de Lais Souza. No último dia 14, Thomas Morgenstern acabou perdendo o controle de seu esqui e bateu a cabeça na pista. O austríaco estava treinando para a Copa do Mundo de saltos da modalidade. Hospitalizado na hora, o atleta não corre mais risco de morte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.