Estádio Engenhão será privatizado após o Pan-Americano

Ao acompanhar o presidente da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa), Mário Vázquez Raña, na visita às construções do Estádio João Havelange, o secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Eider Dantas, informou que após os Jogos Pan-Americanos, em julho, o local será privatizado por 30 anos. De acordo com o político, os R$ 380 milhões investidos no Engenhão não serão recuperados nesse período, mas ?o mau negócio passará a ser bom?, porque a prefeitura deixará de gastar R$ 200 mil mensais para sua manutenção. ?Ofereci a todos os grandes clubes do Rio, mas ninguém se interessou. Não podemos é transformar isso aqui no que hoje é o Maracanã: cabide de empregos, onde rouba-se ingressos, dinheiro de renda e ninguém paga por credenciais?, destacou Dantas. ?O Maracanã é o melhor exemplo do que há de pior em gestão pública. O poder público não pode se meter neste tipo de administração.? O secretário Estadual de Turismo, Esporte e Lazer, Eduardo Paes, responsável pela administração do Maracanã, concordou com Dantas, mas destacou que o Maracanã é um ?caso complexo? e merece atenção especial para os problemas serem resolvidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.