GIUSEPPE CACACE/AFP
GIUSEPPE CACACE/AFP

Estádio refrigerado minimiza efeitos do calor no Mundial de Atletismo

Arena para 46 mil pessoas tem ar-condicionado que garante temperatura interna de 20ºC enquanto na rua termômetros chegam aos 40°C

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2019 | 04h30

A três anos de receber a Copa do Mundo de futebol, o Catar terá sua organização colocada à prova no Mundial de Atletismo, que começa nesta sexta-feira e vai até 6 de outubro. O país no Oriente Médio passa por tensões geopolíticas na região, com bloqueios diplomáticos de alguns países, e outra preocupação dos atletas é com o forte calor.

Em Doha, local da competição, os termômetros chegam aos 40°C durante o dia nesta época do ano e a umidade relativa do ar fica por volta de 85%. Ou seja, é um calor enorme, que será grande adversário para muitos competidores. Até por isso, provas como maratona e marcha atlética, que percorrem grandes distâncias, estão marcadas para começar após a meia-noite, quando a temperatura cai para 30°C.

O estádio Khalifa, inaugurado em 1976, foi remodelado e ganhou um moderno sistema de refrigeração que esfria o ambiente e possibilita um conforto maior para os atletas, mesmo não tendo cobertura. A capacidade da arena é para 46 mil pessoas e apesar dos boatos sobre a baixa venda de ingressos, os organizadores dizem que não há preocupação quanto à presença de público.

"Eles usaram todo esse dinheiro para viabilizar a competição e já pensando no futebol criaram uma maneira de resfriamento muito especial. Aqui estava 40°C ao ar livre e dentro do estádio não passava dos 20°C às 14 horas local. Construíram um túnel que leva os atletas da pista de aquecimento diretamente para o estádio, também totalmente ventilado", explicou Carlos Alberto Cavalheiro, técnico da seleção brasileira.

A modernização do Khalifa começou em 2014 e levou três anos para transformar o icônico estádio que será usado na Copa de 2022. Além do ar-condicionado, que segundo os operadores da arena consome 40% menos de energia que outros equipamentos equivalentes, o sistema de iluminação LED digital é outro ponto alto.

Reaberto em maio de 2017, conta ainda com espaços luxuosos, como 64 camarotes de tamanhos variados. Entre eles está um espaço VIP exclusivo para a família real do Catar. O estacionamento tem espaço para 6 mil automóveis e 2.300 ônibus. Existe ainda um museu, academia, lojas, restaurantes e espaços de convivência para os torcedores.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoMundial de Atletismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.