Estados Unidos tiveram aumento nos casos de doping

Número de violações sobe de 4 para 7 no primeiro trimestre de 2010 em comparação ao ano anterior

AE-AP, Agência Estado

22 de junho de 2010 | 06h43

A Agência Antidoping dos Estados Unidos descobriu sete casos em que foram violadas as suas regras durante o primeiro trimestre do ano, o que significou um incremento dos incidentes, já que nos três primeiros meses de 2009 ocorreram quatro. A entidade informou ter efetuado 1.868 exames no primeiro trimestre de 2010.

As violações incluíram três casos positivos não analisados - provas de doping através de testemunhas, documentação ou outros tipos. Os outros incidentes envolveram anabolizantes, estimulantes e consumo de maconha.

Crystal Cox, que participou das provas preliminares dos revezamento 4x400 metros dos Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Atentas, reconheceu ter consumido esteroides anabolizantes e aceitou uma suspensão de quatro anos, assim como a desclassificação dos seus resultados entre 2001 e 2004.

O especialista em corridas com obstáculos Duane Ross foi suspenso por dois anos assim que o organismo recebeu informações em torno da investigação aos laboratórios BALCO. O velocista Philippe de Rosier deu positivo para o consumo do estimulante metilhexanamina e aceitou uma suspensão de seis meses.

Por sua parte, o velocista Garfield Ellenwood foi suspenso por dois anos após reconhecer ter se dopado. O corredor Ivory Williams foi punido com três meses de suspensão pelo consumo de maconha, enquanto o ciclista David Dlinger foi afastado por dois anos por dar positivo pelo consumo de testosterona sintética e para o remédio modafinil. Já o atleta da categoria masters Val Barnwell deu positivo para consumo de estimulantes para produção de testosterona.

Tudo o que sabemos sobre:
esportesEstados Unidosdoping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.