Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'Estamos vendo sucessão de desastres evitáveis e preveníveis', diz Raquel Dodge

Procuradora-geral convocou membros do MPF a atuar na prevenção de 'problemas antigos, de alta complexidade e crônicos' no País

Teo Cury, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2019 | 20h09

BRASÍLIA - A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse nesta sexta-feira, 8, que casos como o rompimento da barragem em Brumadinho (MG) e o incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo (RJ) revelam "a grande dificuldade" que o País tem enfrentado para "prevenir desastres de grandes proporções". Raquel falou sobre as tragédias na abertura da sessão do Conselho Superior do Ministério Público Federal, do qual é presidente.

"Eu queria iniciar esta sessão extraordinária enviando, em nome de todos os conselheiros no MPF, condolências às vítimas, aos seus familiares e à toda a população brasileira, porque estamos vendo uma sucessão de fatos e desastres evitáveis, preveníveis e precisamos estar atentos a eles para que as instituições de controle, fiscalização e punição realmente funcionem no Brasil", disse Raquel Dodge.

Em sua fala, a procuradora-geral ressaltou que os fenômenos que causam desastres de grandes proporções exigem a atuação das instituições de controle e fiscalização para que se examine se as medidas de prevenção estão sendo adotadas. Para Raquel, é preciso que o sistema de administração de Justiça funcione para se obter a reparação do dano, dar assistência social às vítimas e para que elas sejam indenizadas pelo danos que sofreram.

"Isso acende a necessidade de que esta instituição (MPF) se estruture de forma adequada a resolver problemas antigos, problemas de alta complexidade, problemas crônicos que pendem de solução. Notadamente estes na área de grandes desastres por razões ambientais, mas também por construções humanas, como é o caso de barragens ou caso de incêndios ou desabamentos ocorridos em prédios urbanos, como é o caso do não funcionamento adequado do sistema de escoamento de águas pluviais, água da chuva em regiões urbanas", disse a procuradora-geral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.