Estréia sofrida no basquete

Time de Lula erra bastante e sai de quadra com vitória apertada: 86 a 81 sobre Ilhas Virgens

Glenda Carqueijo, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2026 | 00h00

A equipe brasileira masculina de basquete sofreu ontem para vencer as Ilhas Virgens na estréia do Grupo A, na Arena Olímpica, por 86 a 81. Hoje, o time comandado por Lula Ferreira volta à quadra às 15h30, contra o Canadá, que foi derrotado por Porto Rico ontem, por 82 a 63.O Pan, em que o Brasil busca a terceira medalha de ouro seguida, é um laboratório para o Pré-Olímpico de Las Vegas, que começa no dia 22 de agosto. Lula usa a competição brasileira para escolher quem estará ao lado das estrelas da NBA - Nenê, Leandrinho, Varejão - em busca de uma vaga nos jogos de Pequim/2008.Lula ficou animado com o desempenho da dupla de pivôs João Paulo e Murilo no garrafão. Além de ajudarem na defesa, foram os cestinhas do País, com 17 pontos cada. Murilo ainda recolheu 11 rebotes.Mas o maior pontuador do jogo foi Frank Elegar, das Ilhas Virgens, com 21. ''''Os jogadores estão tendo a oportunidade de mostrar qualidade'''', disse Lula. ''''Murilo é jovem, mas já está bem integrado ao grupo (jogou o Pan de Santo Domingo). E o João fez uma partida espetacular.''''No Pan, o time faz cinco jogos em cinco dias. Já no Pré-Olímpico, os atletas terão dez jogos em 12 dias. ''''É impossível um jogador manter a regularidade em dez partidas. Todo mundo precisa colaborar'''', analisou o treinador, que não ficou satisfeito com os erros de passe e com o fraco desempenho nos rebotes defensivos.Quem não parou quieto no banco de reservas e gritou o tempo todo foi Alex Garcia, que fraturou a mão esquerda dois dias antes da estréia, em um jogo-treino contra os Estados Unidos. Mesmo operado, o ala fez questão de participar da preleção do time e dar força ao grupo.''''Estréia é sempre difícil . O time estava nervoso'''', declarou Alex, que vai retornar hoje para Ribeirão Preto, onde mora sua família. ''''Não agüento ficar só olhando. Mas em três ou quatro semanas estou de volta'''', garantiu o jogador, campeão brasileiro pelo Universo, de Brasília.O jogo também marcou a volta do armador Valtinho, de 30 anos, que ficou fora da seleção por quatro anos, em razão de sucessivas contusões. Ele anotou 17 pontos.O Brasil estreou com um uniforme diferente do usado em outras modalidades. O problema foi da empresa de material esportivo, a Olympikus, que mandou roupas curtas demais para os grandalhões do basquete. O jeito, então, foi encomendar, às pressas, outro lote, que veio sem o nome dos jogadores e em um tom diferente .

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.