Anja Niedringhaus/AP -30/7/2010
Anja Niedringhaus/AP -30/7/2010

Estrela do atletismo é detida na Espanha

Campeã mundial Marta Domínguez, acusada de distribuir substâncias proibidas, é liberada após depoimento de 8 horas

, O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2010 | 00h00

O esporte espanhol viveu um dia de escândalo: ontem, a principal representante do país no atletismo, a fundista Marta Domínguez, foi detida pela Guarda Civil Espanhola sob a acusação de participar de uma rede de dopagem. Campeã mundial dos 3 mil metros com obstáculos, Marta e outras 13 pessoas - atletas, técnicos, empresários, médicos - são alvo da "Operação Galgo", que investiga crimes contra a saúde pública e realizou apreensões nas cidades de Madri, Alicante, Segóvia, Las Palmas e Palência.

Considerada a melhor atleta do país em todos os tempos, Marta tem 34 anos e, no mês passado, anunciou sua gravidez - nesta temporada, foi campeã europeia e ganhou a segunda indicação ao Prêmio Príncipe de Astúrias. Assegurou, porém, que estaria de volta às pistas para disputar a Olimpíada de Londres, em 2012, para buscar uma medalha.

Marta foi detida em Palência, sua cidade natal, no hospital em que fazia exames pré-natais. A atleta foi acusada de facilitar o acesso a substâncias proibidas. Em sua casa, foram apreendidos um notebook, uma maleta metálica e uma caixa de papelão. Após depoimento de oito horas, foi liberada.

A operação teve início em abril, quando a polícia espanhola começou a suspeitar de esquema de dopagem. Pessoas envolvidas no esporte estavam distribuindo substâncias proibidas a atletas de alto nível, realizando, até mesmo, o doping sanguíneo, com o auxílio de transfusões.

Durante as investigações, a polícia começou a vigiar o médico Eufemiano Fuentes e a irmã dele, Yolanda, ambos residentes nas Ilhas Canárias. Eufemiano já é réu em um processo por doping e espera julgamento - ele está envolvido na "Operação Puerto" que, em 2006, desmantelou uma rede de dopagem no ciclismo. O médico era responsável, segundo a Guarda Civil, por elaborar um plano de doping para os atletas assim que saíam os calendários de competições.

Entre os detidos também estão o técnico da atleta, César Pérez, e o empresário dela, José Alonso Valero, ex-corredor de 400 metros com barreiras. Também foi preso o preparador físico Manuel Pascua Piqueras, que trabalhou com os principais atletas da Espanha.

EPO. De acordo com o jornal espanhol El País, os agentes da Guarda Civil encontraram uma série de substâncias proibidas, bolsas de sangue, instrumentos de manipulação usados em laboratórios e uma grande quantidade de documentos relacionados a práticas dopantes nas casas dos envolvidos.

Segundo fontes consultadas pelo diário, amostras de eritropoietina (EPO)- um hormônio sintético utilizado para melhora de oxigenação no sangue - foram encontradas na casa de Marta Domínguez.

A Guarda Civil informou ao Conselho Superior de Esportes, organismo que dirige as atividades esportivas na Espanha, sobre a operação e pediu a colaboração de técnicos do laboratório antidoping de Madri para a análise das substâncias encontradas. Já a Federação Espanhol de Atletismo, entidade da qual Marta é vice-presidente, informou em nota que é a primeira interessada na "máxima eficiência" da luta contra o doping e que espera que "todos os culpados sejam identificados e punidos".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.