Daniel Smorigo/ WSL
Daniel Smorigo/ WSL

Estrela do evento, Filipe Toledo quer repetir feito do pai em Fernando de Noronha

Ricardo Toledo venceu um campeonato no local em 1995, ano que o surfista nasceu

Andreza Galdeano, enviada especial a Fernando de Noronha, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2020 | 04h30

Filipe Toledo, quarto colocado no ranking da WSL (Liga Mundial de Surfe, na sigla em inglês) na temporada passada, é a principal estrela do Oi Hang Loose Pro Contest, disputado em Fernando de Noronha. Nesta quarta-feira, ele entra na segunda fase da competição e espera repetir o feito do pai, que venceu um campeonato no local em 1995, ano em que ele nasceu.

"Quero aproveitar esse momento para fazer um surfe com a rapaziada, curtir muito e tentar conseguir um bom resultado", diz o surfista de Ubatuba. "Meu pai (Ricardo Toledo) já venceu um evento aqui no ano em que eu nasci (1995), então espero poder ter uma história para contar aqui também. Quem sabe, eu consiga vencer o evento também, igual ao papai", complementou.

Filipinho estreia na primeira bateria, mas já aproveitou o dia anterior para treinar na Praia da Cacimba do Padre e sentir o clima da competição. "Fiz um bom treino, tem altas ondinhas aqui. É muito especial para mim estar aqui de novo", conta. Ele competiu em Fernando de Noronha apenas em duas ocasiões, sendo a última em 2011. Agora, encara o paraibano Samuel Igo, surfista que tirou a primeira nota 10 da Cacimba do Padre em 2019.

Na mesma bateria de Filipinho também estão o catarinense Yuri Gonçalves e o norte-americano Luke Gordono. O estrangeiro superou Icaro Ronchi e Patrick Plachi no primeiro dia de competições, que teve como destaque Madson Costa e Junior Lagosta.

*A repórter viajou a convite da organização do evento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.