Estudante paulista vai para a Renault

Gustavo Brambilla, 24 anos, estudante de Engenharia Mecânica Automobilística (MecAut) da FEI, em São Bernardo, era apenas um estagiário da Volkswagen até ontem. Foi quando soube que, de setembro a fevereiro, passará a estagiar no departamento de Engenharia da equipe Renault de Fórmula 1, em Enstone, na Inglaterra, com direito a acomodação, carro da empresa e bolsa total de 6.500 libras (cerca de R$ 21 mil)."Nunca imaginei que um dia fosse a uma fábrica de Fórmula 1. Era um sonho distante", diz. Admite ainda não ter certeza de como será a fantástica experiência. Sua rotina mudará, pois trocará as viagens de São Bernardo a Santos, onde reside com a mãe, para conviver com engenheiros do mais elevado nível. "Sempre acompanhei a Fórmula 1, via as corridas com meu pai. Quando era pequeno, tinha um bugue estilo Fórmula 1 que eu vivia arrumando", conta. Brambilla conta não ter parentesco com Vittorio Brambilla, folclórico piloto italiano que disputou a F-1 de 1974 a 1980.Aluno do último ano, Brambilla venceu a disputa com o projeto que propõe o desenvolvimento de um sistema hidráulico e mecânico que refina a variação de cambagem da suspensão dianteira para carros de Fórmula 1. Na Renault, o futuro engenheiro não sabe se vai trabalhar em seu projeto. "Sempre gostei de suspensão, meu trabalho foi nessa área. Mas acho difícil que seja para implementar o meu projeto na Fórmula 1."O concurso que Brambilla venceu existe desde 2004 e é realizado pela Academia Altran de Engenharia (Altran Engineering Academy). Ele superou estudantes de outros seis países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.