Divulgação/IEM
Divulgação/IEM

Etiene Medeiros lança instituto para promover o esporte a jovens carentes

Objetivo do projeto é proporcional transformação social a crianças e adolescente em situação de vulnerabilidade

Redação, O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2021 | 20h55

Lenda das piscinas brasileiras, Etiene Medeiros começa a escrever também uma bonita história fora das águas. A nadadora de 30 anos lançou, nesta quarta-feira, o Instituto Etiene Medeiros, em Recife, que tem como objetivo proporcionar práticas esportivas a crianças e adolescentes carentes com o objetivo de gerar transformação social na vidas destas.

O objetivo da iniciativa é fornecer, de forma acessível e segura, um acesso a esporte por jovens que estão em situação de vulnerabilidade. Ou seja, usar o esporte para mudar vidas e criar novas oportunidades. Além das aulas de natação o Instituto ainda promoverá ações que visam o desenvolvimento social e educacional destas crianças e adolescentes.

"Eu chamo o projeto de filho", contou Etiene em entrevista coletiva. "Não vamos só levar conhecimento para essas crianças, como também aprender junto com elas", completou. A nadadora ainda fez questão de dedicar a criação do projeto ao seu técnico, Fernando Vanzella, com quem treina há nove anos. "Se sou o que sou hoje, muito disso é graças a ele."

Etiene Medeiros entrou para a história da natação nacional ao se tornar a primeira mulher a faturar uma medalha de ouro em provas individuais nos Jogos Pan-Americanos. A conquista foi em Toronto, em 2015, nos 100m costas. Ela também é a primeira brasileira a subir ao lugar mais alto do pódio em um Mundial de Natação. Ao todo, ela soma nove medalhas em campeonatos internacionais, sendo quatro de ouro.

"Muitos perguntam o porquê de eu escolher Recife. Sou uma bela recifense, pernambucana raiz. E não me vi em outra situação a não ser levar esse Instituto para minha terra. Amo minha terra, amo meus valores", explicou Etiene. "Tudo que eu conquistei e ouso conquistar, Recife sempre jogou muito junto. Meus familiares são de lá, meus valores como mulher, nadadora e guerreira, são de lá. Então coloquei o pé para ser em Recife e sabemos o quanto é um local forte, berço de atletas e cultural."

Hoje, o Instituto conta com patrocínio do BV e tem 10 profissionais das mais diversas áreas que desenvolvem atividades para alunos de 7 a 17 anos. A programação é realizada de segunda a sexta-feira, no Clube Náutico Capibaribe. Além dos ensinos relacionados à natação, o projeto também firmou parcerias com escolas para acompanhar o rendimento escolar de seus jovens.

"O objetivo é aumentar o impacto do que a gente está realizando. Em janeiro de 2022 queremos ter 100 alunos sendo atendidos", disse Mayara Araújo, gestora do Instituto. "Além da parte esportiva, queremos oferecer o desenvolvimento integral dessas crianças. Tudo isso faz parte do nosso planejamento", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.