Luke MacGregor/Reuters
Luke MacGregor/Reuters

Etíope Tsegaye Kebede vence pela segunda vez a Maratona de Londres

Antes do início da corrida, milhares de espectadores fizeram um minuto de silêncio pelas vítimas da Maratona de Boston

AE, Agência Estado

21 de abril de 2013 | 13h13

LONDRES - O etíope Tsegaye Kebede conquistou neste domingo a sua segunda vitória na Maratona de Londres, aplaudido por milhares de espectadores, tranquilizados pelo aumento da segurança na primeira corrida importante após as explosões na Maratona de Boston, na última segunda-feira, que causaram a morte de três pessoas.

Antes do início da Maratona de Londres, foi realizado um minuto de silêncio em homenagem às vítimas de Boston. Com uma fita preta na sua camiseta, Kebede alcançou Emmanuel Mutai na parte final e superou o exausto queniano para cruzar a linha de chegada, em frente ao Palácio de Buckingham, na primeira colocação.

Kebede marcou o tempo de 2 horas, 6 minutos e 15 segundos, repetindo a sua vitória de 2010 em Londres. Mutai concluiu a prova em 2h06min33, enquanto o etíope Ayele Abshero ficou em terceiro, com 2h06min56.

A queniana e medalhista de prata na Olimpíada de Londres Priscah Jeptoo ganhou a prova feminina com o tempo de 2h20min15, o melhor deste ano em uma maratona. Sua compatriota Edna Kiplagat terminou em segundo (2h21min30) e a japonesa Yukiko Akaba foi a terceira colocada (2h24min41).

Já a brasileira Adriana Aparecida não conseguiu alcançar o objetivo de conquistar o índice para a maratona do Mundial de Atletismo, que será realizado em Moscou. A campeã do Pan de 2011 completou a prova em Londres em 11º lugar, com o tempo de 2h31min44. O índice exigido é de 2h28min50.

Um ambiente festivo prevaleceu na corrida neste domingo, apesar de preocupações levantadas pela detonação de duas bombas em Boston. Milhares de corredores prestaram homenagem aos mortos e feridos nos Estados Unidos, com muitos deles usando fitas pretas como símbolo de solidariedade.

Cerca de 36 mil corredores participaram da corrida, que também atraiu milhares de telespectadores. A polícia aumentou o seu efetivo em 40% e medidas extras de monitoramento foram adotadas como medidas de precaução.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.