Etiópia dispensa todos os integrantes do comitê antidoping do país

Alertada sobre a possibilidade de punições por conta da situação precária do programa de combate ao doping do país, a Federação Etíope de Atletismo decidiu tomar uma atitude. Nesta terça-feira, a entidade anunciou a dispensa de todos os dirigentes que integravam o comitê responsável pelo programa.

Estadão Conteúdo

12 de abril de 2016 | 16h53

O ministro do Esporte etíope, Anbesse Eniyew, confirmou a dispensa em massa e revelou que um novo comitê deve ser apontado nesta quarta-feira. A decisão aconteceu em um momento no qual o doping no país está sendo minuciosamente combatido e nove atletas locais estão sendo particularmente investigados.

O médico da equipe de atletismo da Etiópia, Ayalew Tilahun foi avisado deste problema com o doping e garantiu que o comitê "não agiu bem" durante as investigações.

Na semana passada, a Federação Etíope de Atletismo prometeu nesta realizar de 150 a 200 testes antidoping até novembro para evitar punições da Agência Mundial Antidoping (Wada) e da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF). Os dirigentes responsáveis pela modalidade no país explicaram que foram alertados pela Wada e a IAAF da necessidade de urgência neste procedimento.

A Wada já informou que enviará representantes à Etiópia para acompanhar a realização dos exames no dia 3 de junho e o presidente da IAAF, Sebastian Coe, também é esperado por lá por volta desta data. O próprio Coe já havia classificado o país como um dos cinco que têm o programa antidoping em "situação crítica", ao lado de Quênia, Marrocos, Bielo-Rússia e Ucrânia.

Tudo o que sabemos sobre:
dopingEtiópia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.