Eu, madrugada

Madrugada com decisões no tênis de mesa, mountain bike, canoagem... Fazer o quê? Está acabando, vão sobrando esses esportes que nem a mãe do atleta vê. Opa, esse eu conheço: grama, bola rolando, Messi... Ah, não, me recuso a ver o pódio do futebol. Tá, vai, só um pouquinho. Hino argentino, Dunga com cara de zangado - péssima troca entre os anões, admito - e Maradona consolando o Ronaldinho. Por que o Brasil tem um esparadrapo na camisa? "Por causa do escudo da CBF, que não pode aparecer", me explicam na ESPN Brasil. Ah, o escudo. Até ele está com vergonha.Cléber Machado, o narrador que mais narra em Pequim, diretamente do Brasil, me avisa que podemos levar medalha no tae know do. "Natália acertou bonitos golpes na adversária, quem sabe não entra um lindo chute no rosto agora", fala o Nivaldo Prieto, na Band. "Lindo chute no rosto?" Nossa.. E a brasileira arrebenta. E o cubano também. Só que o juiz. Que medo.Vale ouro no vôlei. "Pensei que seria mais fácil", seca Galvão. E entra um saque de Mari. "Sorte, isso é que jogada de sorte", grita o narrador. "Não, é de craque mesmo", rebate Tande. E nenhum dos dois, muito menos Luciano do Valle e Milton Leite se entendem quanto a pronúncia do nome da americana Logan Tom. "Lá vai Tom Logan", grita Galvão. "Boa bola de Logan Tom", gritam na SporTV. Tela dividida na Band. Álvaro José e Elia Júnior começam a apresentar os atletas na pista - não há nenhum brasileiro - quando são cortados pelo simpático Luciano do Valle. "Da próxima vez, vamos ser mais sucintos aí no atletismo, porque o Brasil está jogando aqui." Silêncio do outro lado. Credo. E o SporTV 2 me dá a notícia olímpica do dia, melhor, de todos os Jogos. "As bandeiras erguidas nos pódios não estão tremulando por causa do vento. Em Pequim não há uma brisinha. Elas se mexem por causa dos ventiladores gigantes que colocaram embaixo delas." Ah, até o vento chinês é fake, que maravilha. E Galvão traduz mais uma vez os gritos da torcida chinesa. "Eu sei, eu já disse o que eles falam muitas vezes, mas lá vai mais uma vez..." Por que ele insiste?E Luciano do Valle chama Nilvado Prieto, diretamente da "ginástica artística". "É rítmica, rítmica, desculpe, é que estou nervoso aqui." Percebe-se. Bom, todos estão. Mas nunca pensei que gostaria tanto de ouvir o irritante: "Acaaaaaaaabou!", do narrador da Globo.E mais surpresa. Na seqüência, em um momento de lucidez, Galvão admite que fala demais, e prefere se calar para ouvir a torcida na casa das jogadoras. Link da Globo, claro. Abre a sonora e... "Galvão, Galvão, Galvão!" Ah não, o cara tava quieto...E Luciano do Valle chama as meninas do vôlei para receber o carinho da torcida. "Venham receber o calor humano dos chineses, afinal, eles são muitos, tem muito calor humano aqui!" Meu Deus.Festa na casa das vencedoras e microfone na mão do marido da jogadora Fofão que, empolgado, manda abraço ao estilo Maguila: para o padeiro, o açogueiro, o primo de 5.º grau...

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.