EUA conquistam o bi na Eco Challenge

A Eco Challenge 2001, a maior corrida de aventura do planeta, já chegou ao fim para as equipes de ponta. Os norte-americanos do Eco Internet, vencedores da edição do ano passado da prova, repetiram o feito e ultrapassaram os neozelandeses nas últimas etapas da prova.A estratégia utilizada pelos capitães das equipes decidiu a corrida. Os norte-americanos esperavam completar a prova em cinco dias, dormindo uma média de duas horas por noite, mas tiveram de mudar os planos por causa da performance da equipe PureNZ.com.O capitão do time americano, Ian Adamson, decidiu dormir apenas seis horas e meia durante toda a prova e obteve sucesso. "Os neozelandeses optaram por terminar a prova sem dormir e aí cometeram alguns erros. Nós mantivemos o nosso planejamento de sono e deu certo", explica.O time neozelandes liderou a maior parte da competição, mas nos últimos postos de controle foram ultrapassados porque perderam o mapa e as instruções pelo caminho. Sem as orientações, o time perdeu muito tempo para se recuperar, o que foi determinante no resultado final.A estratégia de sono da equipe americana foi de dormir três horas a primeira noite, mais três na segunda e, depois, apenas vinte minutos por dia.Os franceses, que conseguiram a terceira posição, dormiram cerca de nove horas a prova e o atleta Karin Benamrouche reclama que foi pouco. "Eu não sei como os outros times conseguiram terminar a prova dormindo tão pouco; eu estou completamente acabado e acho que nos arriscamos com a estratégia."Brasil - A competição continua para os outros times. A maioria considera terminar a Eco Challenge uma grande vitória. A equipe AXN Atenah Brasil teve alguns problemas no início da prova, mas depois do trecho de montanhismo e de mountain bike, recuperou mais de dez posições. Os brasileiros pretendem terminar a competição nos próximos dias. "Nós começamos a prova devagar por causa da extensão e da dificuldade, mas agora estamos conseguindo desenvolver um ótimo ritmo, diz Sergio Zolino, o único homem do time.A atleta Eleonora Audra não cansa de elogiar a qualidade dos times de ponta. "São profissionais, e nós estamos tentando nos profissionalizar e difundir esse esporte em nosso País."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.