EUA faz projeto para evitar abuso sexual na natação

A USA Swimming, entidade responsável pela organização e regulação da natação dos Estados Unidos, está tomando medidas para proteger os seus mais de 300 mil membros, após ser atingida por inúmeras alegações de abuso sexual por parte de treinadores.

AE-AP, Agência Estado

21 de abril de 2010 | 15h06

A entidade anunciou nesta quarta-feira um "plano de ação de sete pontos". As medidas foram descritas em uma carta aberta do presidente Jim Wood e do diretor executivo Chuck Wielgus. Wielgus disse que a USA Swimming tem "a responsabilidade de ajudar a criar um ambiente seguro e positivo para as crianças e jovens adultos que são nossos membros".

A organização vai criar um código de conduta para treinadores e melhorar o sistema para relatos de casos de abuso sexual. A ação acontece depois de dois processos judiciais alegando má conduta sexual de treinadores e a revelação de que 36 treinadores foram banidos do esporte na última década.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.