EUA fazem festa pelos 100 anos das 500 milhas

Vencer as 500 milhas de Indianapolis de hoje - com largada às 13 horas (de Brasília, com Band) - será ainda mais especial do que já costuma ser. Comemorando o centenário da prova, os Estados Unidos prometem uma grande festa antes e depois do evento, que une duas de suas paixões: carros e competição.

Milton Pazzi Jr., O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2011 | 00h00

Ao piloto que cruzar o bloco de tijolos da linha de chegada - único trecho restante da pista na primeira prova, em 1911 - estará à espera uma garrafa com leite (tradição quebrada por Emerson Fittipaldi em 1989 e 1993, quando bebeu suco de laranja) e mais de US$ 1 milhão (cerca de R$ 1,6 milhão) em prêmios oficiais, mais os patrocinadores.

Qual o favorito? Está difícil apontar. A surpresa já começa na pole: é o canadense Alex Tagliani, da equipe Sam Schmidt. É a primeira vez que ele começa na frente em quatro anos na Fórmula Indy e já faturou US$ 100 mil (cerca de R$ 160 mil). Ao lado, o neozelandês Scott Dixon (Ganassi), duas vezes campeão da categoria e uma desta prova. Fechando a primeira fila, que é tripla no circuito oval, o espanhol Oriol Servià (Newman/Haas).

Para vencer, o segredo costuma ser a junção de paciência e velocidade, pois não faltarão bandeiras amarelas. Estas, por sinal, causadas por acidentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.