Quênia acaba Mundial de Atletismo com supremacia ante EUA

Quênia acaba Mundial de Atletismo com supremacia ante EUA

Quenianos encerraram competição com sete medalhas de ouro 

Estadão Conteúdo

30 de agosto de 2015 | 10h33

Pela segunda edição seguida, os Estados Unidos não conseguiram confirmar o favoritismo para ficarem com o título do quadro geral de medalhas do Mundial de Atletismo. Se em 2013, em Moscou, os norte-americanos perderam para os donos da casa, num resultado pontual, em Pequim a vitória ficou com a consistente delegação do Quênia.

Os quenianos ganharam sete medalhas de ouro, seis de prata e três de bronze. A novidade foi que as vitórias não vieram somente nas provas de fundo, nas quais são dominantes, mas também nos 400 metros com barreiras e no lançamento do dardo no masculino. E ambas as provas com atletas que, até ano passado, não estavam nem entre os 10 melhores do mundo.

A Jamaica ficou em segundo, também com sete medalhas de ouro, porque agora domina as provas de velocidade. Só Usain Bolt garantiu três medalhas, pela terceira vez em Mundiais - 2009, 2013 e 2015. A delegação jamaicana ficou atrás da queniana porque só ganhou duas de prata.

Já os Estados Unidos encerraram a competição em Pequim com seis medalhas douradas, em provas das mais variadas: peso, salto triplo, 400m, salto em distância, decatlo e revezamento 4x400m. Também foram seis medalhas de prata e seis de bronze.

No total de medalhas, os EUA lideraram, com 18, contra 16 do Quênia e 12 da Jamaica. A China ganhou nove, enquanto Etiópia, Polônia, Canadá e Alemanha foram ao pódio oito vezes cada.

A preocupação por parte dos EUA é que o total de medalhas caiu de 25 para 18 em dois anos. Desde o Mundial de Paris, em 2003, a delegação norte-americana não ficava abaixo das 20 medalhas - ganhava sempre entre 22 e 26. As de ouro, que foram 12 há quatro anos, caíram pela metade.

A Associação das Federações Internacionais de Atletismo (IAAF) tem outro critério para medir o resultado geral de um Mundial, que é o quadro de posições. Nele, são consideradas todas as classificações entre os oito primeiros durante a competição, dando oito pontos para o campeão e um para o oitavo.

Nesse quadro, os EUA lideraram com sobras, com 214 pontos, contra 173 do Quênia e 132 da Jamaica. A Alemanha também passou dos 100 pontos: fez 113. Grã-Bretanha, China, Etiópia, Polônia, Canadá e Rússia completaram os 10 primeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoMundial de PequimEUAQuênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.