Alberto Estévez/EFE
Alberto Estévez/EFE

EUA lideram primeiro dia da natação em Barcelona

Neste domingo, país conquistou duas das quatro medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze

AE, Agência Estado

28 de julho de 2013 | 15h29

BARCELONA - Os Estados Unidos chegaram ao décimo dia de disputas do Mundial de Esportes Aquáticos de Barcelona apenas no sétimo lugar do quatro de medalhas, mas bastou começarem as disputas da natação para o hino norte-americano passasse a ser o mais ouvido na capital da Catalunha. Neste domingo, os EUA conquistaram duas das quatro medalhas de ouro em jogo. Ainda ganharam uma prata e um bronze.

A primeira medalha disputada, porém, foi para a China. Nos 400m livre masculino, o fenômeno Yang Sun não deu chance para ninguém e venceu com folga de mais de 3s, com o tempo de 3min41s59. O japonês Kosuke Hagino ficou com a prata e o norte-americano Connor Jaeger representou seu país no pódio com o bronze.

Em seguida, Katie Ledecky estragou a festa dos donos da casa. A norte-americana venceu os 400m livre com o tempo de 3min59s82, ficando a apenas 0s67 de quebrar o recorde mundial feito pela italiana Federica Pellegrini com trajes tecnológicos. Com o novo recorde do seu país, ganhou a medalha de ouro e deixou a espanhola Melaine Costa Schmid com a prata. Lauren Boyle (Nova Zelândia) ganho o bronze.

Para fechar o dia, as finais dos revezamentos 4x100m livre. No feminino, mais uma vez caiu o recorde norte-americano. Com 3min32s31, o time formado por Missy Franklin, Natalie Coughlin, Shannon Vreeland e Megan Romano conquistou o ouro e ficou a 0s59 de quebrar o recorde mundial. A Austrália nadou perto, completou a prova com 3min32s43, também recorde local, e ficou com prata. O bronze foi para a Holanda.

Por fim, no revezamento masculino, chegada emocionante com quatro equipes separadas por apenas 0s40. Desta vez, porém, deu França de Yannick Agnel, Florent Manaudou, Fabien Gilot e Jeremy Stravius, com 3min11s18. Os EUA terminaram com a prata, garantindo a primeira medalha do Mundial/2013 para Ryan Lochte, favorito a ser a grande estrela em Baracelona. A Rússia ficou com o bronze e a Austrália terminou no quarto lugar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.