EUA vencem em rodada marcada por gafe diplomática

Tricampeã olímpica e maior força do futebol feminino mundial, a seleção americana tomou fortes sustos, mas estreou com vitória na Olimpíada de Londres. A equipe saiu perdendo da França por 2 a 0, mas conseguiu virar para 4 a 2 a partida disputada nesta quarta-feira no estádio Hampden Park, em Glasgow, na Escócia.

AE, Agência Estado

25 de julho de 2012 | 18h56

A França teve um início fulminante e abriu dois gols de vantagem em apenas 14 minutos. Aos 12, Thiney arriscou de fora da área e contou com a colaboração da goleira e musa americana Hope Solo, que, adiantada, não conseguiu alcançar a bola. Dois minutos depois, Delie aproveitou grande confusão na área dos Estados Unidos para ampliar com um chute seco.

Os sustos acordaram a seleção ianque. Aos 17, Wambach subiu mais alto que a defesa francesa em cobrança de escanteio e diminuiu. O empate veio aos 32, quando Morgan foi lançada na área e deu um toque de categoria para encobrir a goleira Renard.

A virada veio de forma natural no segundo tempo e confirmou a superioridade técnica americana. Lloyd recebeu na área e soltou uma bomba para anotar o terceiro gol, aos 11. O quarto veio com Morgan, que aproveitou cruzamento na segunda trave para fazer o seu segundo gol, aos 21.

As americanas terminaram a primeira rodada na liderança do Grupo G pelo critério de gols marcados, já que no outro jogo a Coreia do Norte bateu a Colômbia por 2 a 0.

Esse confronto, aliás, ficará lembrado pela primeira gafe diplomática da Olimpíada de Londres. Antes da partida, o placar eletrônico do Hampden Park anunciou a escalação do time norte-coreano com a bandeira da Coreia do Sul, seu vizinho e arquirrival histórico. Em protesto, as jogadoras norte-coreanas desceram para o vestiário e só voltaram ao campo uma hora depois. Quando a bola finalmente rolou, Hui Song Kim marcou os dois gols da polêmica partida.

Nos jogos do Grupo F, em Conventry, o Japão, atual campeão mundial, venceu o Canadá por 2 a 1. Kasayumi e Miyama anotaram os gols nipônicos e Tancredi descontou. A liderança da chave ficou com a Suécia, que fez 4 a 1 na África do Sul, com gols de Schelin (dois), Fischer e Dahlkvist. Modise marcou o de honra para as sul-africanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.