Evento de R$ 90 milhões vai ser visto por meio bilhão de pessoas

O UFC 134 vai trazer para a cidade do Rio de Janeiro cerca de R$ 90 milhões. Esta é a previsão dos organizadores. O sucesso entre os torcedores é muito bem explorado pela marca dominada por Dana White. A edição que será disputada na Arena Multiuso será a 134.ª a ser gravada em DVD para ser vendida no site do UFC logo após a disputa do Rio. Este é apenas um dos muitos produtos que são comercializados pelo evento esportivo que vem ganhando fãs em todos os cantos do mundo.

Sílvio Barsetti e Wilson Baldini Jr., O Estado de S.Paulo

21 de agosto de 2011 | 00h00

As crianças também são um alvo que não é esquecido pelo UFC. Por isso, todos os grandes lutadores são representados por bonecos, que viraram uma mania nos Estados Unidos. Isso para não se falar de camisetas, bonés e chaveiros.

O UFC tem produtos licenciados no Brasil desde o começo do ano. São mais de 300 tipos de produtos, em dois mil pontos de venda. Até o ano que vem, a expectativa é de que R$ 150 milhões sejam movimentados no País.

A divulgação do UFC Rio para todo o mundo pela televisão deve atingir cerca de 150 países, com mais de 500 milhões de espectadores. No Brasil, o evento vai ser transmitido pelo SporTV. A Rede TV! vai fazer a primeira transmissão de UFC para um canal aberto. O canal vendeu quatro cotas de patrocínio, que vão garantir à emissora R$ 4,8 milhões.

O UFC Rio terá padrão de organização internacional. Telões com alta definição vão garantir ao público todos os ângulos dos combates. Iluminação, som e segurança foram meticulosamente trazidos das noitadas de boxe, o que garante uma noite inesquecível para os amantes de lutas.

Nos Estados Unidos, pelo pay-per-view, são vendidos mais de 6 milhões de assinaturas por ano - nos quais são englobados os 12 eventos programados.

Antes proibido em até 49 dos 50 estados norte-americanos, por causa da extrema violência nas lutas, atualmente o UFC já despertou interesse no Canadá, na Inglaterra, na Alemanha, na França, na Irlanda, na Austrália e nos Emirados Árabes, que já organizaram etapas do UFC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.