Dean Treml/Red Bull Content Pool
Dean Treml/Red Bull Content Pool

Ex-acrobata de circo ganha vaga no Mundial de Salto de Penhasco

Parense Jucelino Alves será o primeiro atleta do País a participar de todas as etapas do esporte na categoria masculina

RENAN FERNANDES, O Estado de S. Paulo

13 de fevereiro de 2015 | 10h29

Depois de desistir dos saltos ornamentais ‘pela falta de suporte’ e de abrir mão de seu trabalho no circo como acrobata para se dedicar ao salto de penhasco, Jucelino Alves começa colher os frutos de sua aposta. O paraense será o primeiro brasileiro a competir em todas as oitos etapas do Red Bull Cliff Diving, o campeonato mundial da categoria, entre os homens.

Oficializada pela Federação Internacional de Natação (Fina) como uma de suas modalidades no fim de 2014, o Salto de Penhasco pode fazer parte do programa da Olimpíada de 2020, em Tóquio. Já existem negociações para tentar emplacar o esporte ao lado de outros mais conhecidos, como a natação, o polo aquático, os saltos ornamentais e o nado sincronizado.

Jucelino teve seu primeiro contato com o esporte em 2006, quando deixou o Brasil para fazer apresentações circenses pulando de torres com altura de até 25 metros.  "Depois comecei a pesquisar e descobri que na Europa existiam competições de salto de penhasco, onde eram executados três saltos para escolher o vencedor."

Após quase 10 anos de experiência nos grandes saltos, e tendo participado de três etapas do Mundial através de convite, o brasileiro já mira grandes nomes do esporte, como o inglês tetracampeão consecutivo Gary Hunt e o russo Artem Silchenko. "É possível superá-los. Acredito que a sequência de competições que eu vou ter, somada à disciplina e à dedicação, vão me colocar no pódio."

Juscelino conhece sete dos oito locais onde vão ocorrer as provas do Mundial e classifica o salto da Torre de São Nicolau, no porto de La Rochelle, na França, como o mais perigoso. "É a etapa mais alta do Mundial, com 28,5 metros. Fora isso, o vento lá chega aos 105 km/h e a água também é super fria." O atleta conhece os perigos de São Nicolau por experiência própria. Ao tentar usar técnicas das apresentações do circo ao entrar na água, Juscelino acabou tendo uma séria lesão, que o afastou das competições por sete meses.

"Os shows em circos são feitos de torres com 23 a 25 metros de altura e uma piscina de 2,70 a 3 metros de profundidade. Nesses eventos, os saltadores utilizam uma técnica para cortar a velocidade da queda no espaço da piscina. Quando fui convidado pela primeira vez para saltar na França, acabei tendo um estiramento nos ligamentos dos dois joelhos."

O Mundial de Salto de Penhasco chega à sua sétima edição. Em 2013, o Rio de Janeiro quase foi palco de uma etapa, mas problemas na montagem da plataforma em Niterói fizeram a prova ser cancelada. Entre as mulheres, o Brasil teve uma representante em todas as provas do Mundial de 2014, a gaúcha Jacqueline Valente.

CALENDÁRIO DE 2015

25 de abril - Cartagena (Colômbia)

17 de maio - La Rochelle (França)

30 de maio - Possum Kingdom Lake, Texas (Estados Unidos)

20 de junho - Copenhague (Dinamarca)

18 de julho - Açores (Portugal)

15 de agosto - Mostar (Bósnia e Herzegovina)

13 de setembro - Polignano a Mare (Itália)

26 de setembro - Bilbao (Espanha)

Tudo o que sabemos sobre:
Salto de PenhascoJucelino Alves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.