EFE
EFE

Ex-atletas franceses denunciam violência sexual de ex-treinadores

Esportistas de natação, tênis e patinação revelam escândalo de abusos

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2020 | 16h50

O esporte na França passa por mais um escândalo. Nesta quarta-feira, ex-atletas franceses de natação, tênis e patinação denunciaram casos de violência sexual praticados por alguns de seus ex-treinadores no passado. Deram até nome e sobrenome de acordo com o jornal francês L´Équipe.

Da patinação, Hélène Godard, Béatrice Dumur e Anne Bruneteaux revelaram que no final dos anos 1970, quando eram adolescentes, sofreram abuso sexual de três de seus ex-técnicos e ex-campeões na França. Eles são Didier Gailhaguet, Jean-Roland Racle e Gilles Beyer.

Na natação, vários ex-atletas como Élisabeth Douet, Frédérique Weber e Isabelle Chaussalet contaram como sofreram agressões sexuais no centro de treinamentos de Font Romeu, na região dos Pirineus, por Christophe Millet, treinador na época e condenado na década de 1990 por um caso de atentado ao pudor.

Já a ex-tenista Isabelle Demongeot, que há anos está envolvida na luta contra agressões sexuais no esporte, foi uma peça-chave no processo contra o ex-treinador Régis Camaret, que em 2014 foi condenado a dez anos de prisão por estupro de menores.

De acordo com os ex-atletas, esses casos não foram levados à Justiça e atualmente já estão prescritos. Mas todos esperam que outros esportistas tomem coragem e façam denúncias aos tribunais.

Perguntada sobre o assunto, a ministra do Esporte, Roxana Maracineanu, ex-campeã de natação, parabenizou os ex-atletas pela história revelada agora, dizendo que "é importante porque o esporte estabelece um relacionamento em particular com o treinador, uma figura em que todos confiam em nome dos resultados. Mas os resultados não justificam tudo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.