Ex-coadjuvantes são apostas para voltar ao topo

Renovada, seleção de Bernardinho estreia hoje, às 12h30, contra Cuba

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

23 de julho de 2009 | 00h00

A seleção masculina do Brasil, com elenco renovado, inicia hoje contra Cuba, às 12h30, em Belgrado, na Sérvia, sua participação na fase final da Liga Mundial 2009. Em meio ao trabalho de renovação da equipe, o técnico Bernardinho quer compensar o excesso de novatos com a experiência de ex-reservas, como Murilo e Bruno. Atletas que hoje têm a chance de iniciar como titulares em busca do oitavo título na competição. "Realmente, temos vários jogadores nessa situação (estreantes). Mas temos outros que já faziam parte do grupo e nunca vivenciaram uma experiência de começar jogando nas finais, como o Murilo", lembrou Bernardinho. "Nesse ponto, acredito que, mais do que a minha participação, os jogadores veteranos têm muito a dar. São eles que podem passar tranquilidade e experiência aos companheiros."Atrás do oitavo troféu, que igualaria a marca recorde da Itália, o Brasil quer apagar as decepções do ano passado. O frustrante 4º lugar na Liga de 2008, disputada no Rio, e a derrota para os EUA na final olímpica, em Pequim, foram pouco para o tamanho das expectativas do torcedor. O time de Bernardinho começou bem a jornada: na fase inicial da Liga, perdeu só um dos 12 jogos para garantir a liderança do Grupo D.Na renovação, deram adeus nomes importantes como o meio de rede Gustavo e o levantador Marcelinho. Substituto de Marcelinho, Bruno garante que está pronto para a responsabilidade de iniciar como titular em um torneio decisivo. "O importante é manter a tranquilidade, sem perder a vontade", afirmou o levantador da seleção. "É o momento de mostrar um algo a mais." Apesar da renovação, as esperanças do torcedor para a competição em Belgrado repousa sobre os ídolos veteranos Giba e Serginho, titulares absolutos no time de Bernardinho.O técnico acredita que a seleção brasileira, que teve folga ontem, na abertura da competição, não sai em vantagem por ter tido um dia a mais de descanso. "Cuba já estreou e sentiu o clima do ginásio. Além disso, faremos quatro dias de partida diretos, se nos classificarmos para as semifinais."JOGOS DE ONTEMOs cubanos, rivais de hoje na estreia do Brasil, bateram a Argentina ontem por 3 sets a 1, com destaque para a atuação do atacante cubano Leon, de apenas 15 anos e 2,01m. Prevendo duelos equilibrados, Bernardinho ressaltou a força dos dois adversários do Grupo F. "Cuba foi primeiro de seu grupo (na primeira fase), que tinha a Rússia. Já a Argentina deixou para trás a França e venceu duas partidas contra a Sérvia na fase intercontinental."Pelo Grupo E, a anfitriã Sérvia aplicou 3 sets a 0 nos EUA, vingando a derrota na final da última Liga Mundial. A chave tem, ainda, a seleção da Rússia, que estreia hoje, às 15h30, contra os EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.