AFP/HECTOR RETAMAL
AFP/HECTOR RETAMAL

Ex-ministra da Venezuela, que fazia parte do governo de Maduro, fatura prata

Alejandra Benitez perde final para norte-americana na esgrima

PAULO FAVERO, enviado especial a Toronto, O Estado de S. Paulo

20 de julho de 2015 | 21h25

A esgrimista venezuelana Alejandra Benitez chegou longe na disputa de sabre dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, mas perdeu na final para a norte-americana Dagmara Wozniak por 15 a 13. "Consegui chegar à final, estava muito concentrada e nem olhava para o placar. Mas não deu. Agora continuaremos a caminhada rumos aos Jogos do Rio", disse.

Aos 35 anos, ela tem uma legião de fãs. Já fez ensaios sensuais, foi ministra do esporte no governo do presidente Nicolás Maduro e se declara uma chavista. "Eu gosto muito do Lula, que é um personagem político admirável, e do Pepe Mujica, que foi presidente do Uruguai", afirma a atleta, que tem convicções políticas fortes.

Ela disputou as três últimas Olimpíadas, em Atenas (2004), Pequim (2008) e Londres (2012). Mas além de treinamentos e foco, ela não abre mão de suas atividades políticas. "Agora sou deputada, fui eleita em 2010. Muitos atletas têm profissão e essa é a minha. O Partido Socialista faz parte da minha vida desde os 21 anos. Sigo trabalhando com eles, para mim é uma motivação trabalhar pelo país. Apesar de ser de esquerda, muita gente da direita me apoia porque sou aberta às críticas", afirmou.

Alejandra Benítez explica que não gosta de falar de política quando está representando seu país como atleta. Mas abre uma exceção e expõe um pouco do que pensa sobre o futuro da Venezuela. "O país tem de ser mais aberto às críticas. A Venezuela não é a política de quem governa, mas a mentalidade venezuelana. Se todo mundo mudar a mentalidade, o país pode mudar e melhorar. Há uma situação real de dificuldade econômica. Sou super chavista, mas represento todos os venezuelanos", conclui.

Tudo o que sabemos sobre:
Jogos Pan-Americanosesgrima

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.