Ex-nadador Ian Thorpe apresenta defesa em caso de doping

Australiano explica os motivos de terem aparecido duas substâncias proibidas em exames realizados em 2006

16 de agosto de 2007 | 10h52

O australiano Ian Thorpe, ex-recordista mundial e campeão olímpico de natação, apresentou sua defesa à Agência Antidoping Australiana (Asada, sigla em inglês) após ser acusado de usar substâncias proibidas. Thorpe entregou à Asada os relatórios nos quais explica os motivos pelos quais duas substâncias proibidas (testosterona e hormônio do crescimento) apareceram em uma amostra de urina durante um exame antidoping ao qual foi submetido em maio de 2006. Um porta-voz da Agência confirmou o recebimento das explicações de Thorpe, que sempre alegou inocência. "As explicações de Thorpe serão agora estudadas pela Asada. Por enquanto não podemos dar mais detalhes", diz a agência em comunicado. Thorpe, de 24 anos, se aposentou em novembro do ano passado. Pouco depois, o jornal francês L'Equipe publicou os resultados do exame antidoping. Em um primeiro momento, a Asada assegurou que houve irregularidades na coleta das amostras de urina e desprezou o caso. No entanto, a Federação Internacional de Natação (Fina) solicitou uma investigação e ainda pediu a intervenção do Tribunal de Arbitragem para que o caso fosse reaberto.

Tudo o que sabemos sobre:
Ian Thorpe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.