Ex-quarterback da NFL sai da prisão após 19 meses

Michael Vick trabalhará como pedreiro; ex-jogador foi condenado por promover briga de cachorros

Redação,

29 de abril de 2009 | 14h14

O quarterback Michael Vick deixará a prisão de Leavenworth, no Kansas, no dia 20 de maio, para servir o resto de sua sentença - crueldades contra animais, especificamente promoção de rinhas de cachorros - em regime de prisão domiciliar.

Veja também:

linkAstro da NFL é condenado a 23 meses de prisão

Vick, que foi considerado o principal quarterback da NFL quando jogava pelo Atlanta Falcons, ficará em sua casa em Hampton, Virginia, onde viverá com seus dois filhos e sua noiva. Ele também trabalhará 40 horas semanais como pedreiro para uma companhia local, e receberá cerca de US$ 10 (cerca de R$ 22) por hora ou aproximadamente US$ 1.800 (R$ 3.520,00).

A sentença de Michael Vick terminará no dia 20 de julho e, depois disso, ficará sob custódia pelos próximos três anos. Já seu retorno como jogador de futebol americano segue indefinido. Suspenso da NFL desde agosto de 2007, Vick tentará falar com o comissário da liga, Roger Goodell, para revogar sua suspensão e, assim, voltar a jogar em algum time.

A carreira de Michael Vick era uma das mais promissoras da NFL, mas tudo desmoronou quando foi descoberto um esquema de briga de cachorros financiado pelo jogador. Para piorar, ficou comprovado que Vick maltratava e matava os cachorros que perdiam as lutas. O quarterback negou as acusações no começo, mas depois reconheceu sua culpa, pedindo desculpas públicas. De nada adiantou e foi sentenciado a 18 meses de regime recluso (mais cinco meses de condicional), o que foi cortado graças a seu bom comportamento na cadeia.

Tudo o que sabemos sobre:
NFLMichael VickAtlanta Falcons

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.