Toru Honai/Reuters
Toru Honai/Reuters

Ex-recordista da maratona pega quatro anos de suspensão por violar regras antidoping

Queniano Wilson Kipsang recebe punição por acumular faltas e não realizar os exames necessários

Redação, Estadão Conteúdo

03 de julho de 2020 | 11h06

Ex-recordista mundial da maratona, o queniano Wilson Kipsang foi suspenso por quatro anos pela violação das regras antidoping pela Unidade de Integridade do Atletismo (AIU, na sigla em inglês), que anunciou a punição nesta sexta-feira.

"O Tribunal Disciplinar Mundial do Atletismo suspendeu o maratonista queniano Wilson Kipsang por quatro anos com efeito a partir de 10 de janeiro de 2020 por falhas envolvendo paradeiro e adulteração no fornecimento de evidências e falsos testemunhos", disse a AIU em um comunicado.

A World Athletics disse que Kipsang não forneceu a sua localização em quatro oportunidades, entre abril de 2018 e maio de 2019. E três faltas desse tipo em 12 meses leva a uma suspensão automática.

O queniano chegou a dizer que perdeu um teste em 17 de maio de 2019 devido a uma acidente de trânsito envolvendo um caminhão tombado. No entanto, a foto era mostrada por ele para comprovar a indisponibilidade era de um acidente ocorrido em 19 de agosto de 2019. "A AIU considera que as evidências demonstram esmagadoramente que o atleta estava envolvido em adulteração ou tentativa de adulteração em violação às regras", acrescentou a decisão.

Kipsang, medalhista de bronze na Olimpíada de 2012, havia sido suspenso provisoriamente em janeiro, em punição agora confirmada pela AIU. Entre as principais vitórias da sua carreira estão as das Maratonas de Londres em 2012 e 2014, de Berlim em 2013, quando estabeleceu um novo recorde mundial, de Nova York em 2014 e de Tóquio em 2017.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.