Ex-recordista dos 200m, velocista italiano morre aos 60

Velocista fez história por sustentar recorde da prova por 17 anos

AE-AP, Agência Estado

21 de março de 2013 | 10h01

Campeão olímpico dos 200m na Olimpíada de Moscou, em 1980, o italiano Pietro Mennea morreu nesta quinta-feira, em um hospital na cidade de Roma - a causa da morte não foi divulgada. O velocista fez história no atletismo ao sustentar o recorde da prova por 17 anos e conquistar, no total, três medalhas olímpicas.

Além do ouro nos 200m, Mennea participou da equipe italiana que conquistou o bronze no revezamento 4x400m em Moscou. Antes, nos Jogos de Munique, em 1972, ele já havia faturado a medalha de bronze na prova dos 200m.

O italiano dominou os 200m no fim da década de 70 e nos anos 80. Em 12 de setembro de 1979, durante os Jogos Universitários Mundiais, na Cidade do México, ele anotou o tempo de 19s72, quebrando o recorde mundial. A marca seguiu imbatível até 1996, quando outro ícone do atletismo, o norte-americano Michael Johnson, cravou 19s66.

"Não pensei nem por um minuto que o recorde duraria tanto. No momento nem percebi que havia corrido tão rápido", disse Mennea logo após Johnson quebrar sua marca em 1996. Atualmente, o recorde dos 200m pertence ao jamaicano Usain Bolt, com o tempo de 19s19.

Tudo o que sabemos sobre:
atletismoPietro Mennea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.