Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Ex-treinador de Cielo ainda aposta alto no antigo pupilo

Para Albertinho, campeão olímpico de 2008 pode voltar a nadar abaixo dos 21s até 2016

Alessandro Lucchetti, O Estado de S. Paulo

18 de julho de 2013 | 17h41

SÃO PAULO - O treinador Alberto Pinto da Silva, o Albertinho, ainda está chateado com o encerramento do trabalho com Cesar Cielo, que preferiu a orientação do norte-americano Scott Goodrich. Mas talvez ninguém conheça melhor o nadador barbarense do que ele. Afinal, começaram a trabalhar juntos quando Cielo tinha apenas 15 anos e se mudou para São Paulo a fim de treinar na piscina do Pinheiros, ao lado do ídolo Gustavo Borges. Embora Cielo já não seja destacado favorito na prova dos 50m livre, Albertinho ainda aposta suas fichas nele. "O Cesar ainda é o melhor. Ele tem chance de quebrar a barreira dos 21s. Se não for agora, porque a cirurgia do joelho ainda é recente, pode fazer até 2016".

Em toda a história, apenas Cielo (20s91) e o francês Frédérick Bousquet (20s94) nadaram abaixo dos 21s, e isso na era dos supermaiôs. Mas Albertinho, assim como outros especialistas, considera que são possíveis marcas abaixo dos 21s com trajes têxteis, daqui a não muito tempo.

A confiança em Cielo se baseia na técnica do pupilo. "A forma como ele emerge depois da saída e começa a nadar é tema de aula em faculdade. É perfeito".

Cielo aparentemente atribui a Albertinho a escolha de seu programa de provas nos Jogos de Londres. O nadador considerou um erro ter nadado os 100m, que teria lhe roubado a energia para os 50m. Albertinho se esquiva. "Eu não impus que ele nadasse os 100m. Só disse a ele que, se fosse nadar, era para acreditar na prova como acredita na dos 50m. É claro que, se ele quisesse não nadar os 100m, eu não me oporia. Mas é engraçado como o inferno está tão próximo do céu. Ele chegou em sexto lugar, a 12 centésimos da medalha de bronze. Doze centésimos não é nada. Se tivesse conseguido o bronze, isso teria lhe dado uma confiança enorme, porque ia lembrá-lo de Pequim, onde conquistou o bronze e depois o ouro nos 50m".

Quanto aos 50m, Albertinho revela que nunca viu a filmagem da prova, tamanho foi o aborrecimento. A saída do bloco foi considerada o ponto crucial da prova - mas Albertinho recorda que o movimento foi muito bem treinado. "A saída do Cesar foi gravada, estudada e copiada por todo mundo. Para se ter uma ideia, no final do ano, um site inglês de natação elegeu o Nicholas Santos como o dono da melhor saída do mundo. Depois da Olimpíada, teve o Finkel (Troféu José Finkel, o Brasileiro de inverno), e o Cielo teve uma saída melhor do que a do Nicholas".

A má saída de Cielo condenou sua prova, mas Albertinho atribui ao árbitro parte dos problemas. “A torcida estava fazendo muito barulho, e os nadadores ficaram muito tempo no bloco antes da largada. Um brasileiro gritou o nome do Cielo, e isso atrapalhou, atrasou a largada. A perna começa a queimar. Mas ele fez uma prova de recuperação. Estava atrás e levou o bronze. Na linha dos 25m, o Cesar estava atrás de todo mundo. Ele conquistou aquele bronze".

Por pretender que nunca mais seja taxado como responsável pelo programa de provas de qualquer nadador, Albertinho não insistiu para que Nicholas Santos participasse dos 50m livre no Mundial de Piscina Curta de Istambul, em dezembro do ano passado, prova na qual considera que o nadador de Ribeirão Preto tinha chances de medalha.

O Mundial de Esportes Aquáticos começa nesta sexta-feira, em Barcelona. Na primeira semana, serão disputados o polo aquático, maratona aquática, saltos ornamentais e nado sincronizado. A natação só terá início no dia 28. Nesta sexta-feira embarcam 20 nadadores brasileiros. Cesar Cielo, Felipe Lima e Marcelo Chierighini vão se juntar à seleção em Barcelona.

 

Cielo é o maior campeão da delegação: soma quatro medalhas de ouro em Mundiais de piscina longa: nos 50m e 100m livre em Roma/2009 e nos 50m livre e 50m borboleta na edição de Xangai/2011.

 

 

  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.