Extremistas ameaçam sabotar Copa

JOHANNESBURGO

, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2010 | 00h00

A polícia sul-africana está investigando uma tentativa de sabotagem da Copa do Mundo. Segundo o jornal Tribune, um grupo de extrema direita denominado Suidlanders lideraria o movimento. A investigação, que incluiu batidas nas cidades de Pretória e Mpumalanga, baseou-se em uma série de e-mails enviados ao exterior incitando o boicote ao Mundial.

Segundo o e-mail, haveria uma guerra contra os sul-africanos brancos. Diz, ainda, que seria má ideia visitar o país durante a Copa, garantindo que há uma guerra civil. O número de filiados à organização teria aumentado depois do assassinato de Eugene Terreblanche, líder radical branco, por dois jovens negros.

De acordo com o jornal diário, o Suidlanders teria contratado ex-integrantes das forças especiais e estaria fazendo estoque de armas e munição. O grupo aposta em ações que levem à desestabilização social e fomenta a xenofobia. Vish Naidoo, representante da polícia sul-africana, garantiu que as forças de segurança estão preparadas para enfrentar qualquer problema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.