Fabiana e Murilo, os melhores do ano

O voto popular decidiu: a saltadora Fabiana Murer e o ponta Murilo, da seleção masculina de vôlei, foram os vencedores do Prêmio Brasil Olímpico, homenagem concedida pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) em cerimônia realizada no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio. O prêmio encerrou uma temporada inesquecível para os dois atletas, que foram campeões mundiais em 2010.

Bruno Lousada e Bruno Boghossian / RIO, O Estado de S.Paulo

21 de dezembro de 2010 | 00h00

Fabiana Murer superou a nadadora Ana Marcela Cunha e a dupla Larissa e Juliana, do vôlei de praia, na preferência do público. Neste ano, ela garantiu o ouro no Mundial Indoor, derrotando a recordista mundial Yelena Isinbayeva, e da Liga Diamante, principal competição da Federação Internacional de Atletismo (IAAF). Murilo foi escolhido o melhor jogador da Liga Mundial e do Mundial da Itália, títulos conquistados pela seleção masculina de vôlei - o nadador Cesar Cielo e o judoca Leandro Guilheiro também concorriam. O COB ainda homenageou esportistas de 47 modalidades e dois técnicos: Bernardinho e Elson Miranda, que treina Fabiana Murer.

Mas o momento mais emocionante da cerimônia veio quando Éder Jofre, de 74 anos, subiu ao palco para receber, das mãos de João Havelange, o troféu Adhemar Ferreira da Silva, prêmio destinado à ex-atletas com contribuição marcante para o esporte.

O pugilista não conteve as lágrimas. "Vocês não calculam a alegria, a satisfação em ter recebido este prêmio. Não encontro palavras para agradecer essa homenagem...". Ovacionado pela plateia, Éder não conseguiu seguir com seu discurso. Há 50 anos, ele conquistou o título mundial dos pesos galos, em Los Angeles.

Lula. Em mais uma homenagem no encerramento do mandato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi saudado por atletas, dirigentes e integrantes do COB como "o presidente que mais fez pelo esporte brasileiro". Ao estilo "nunca antes na história desse país", bordão repetido pelo presidente, as ações do governo pela área foram classificadas como "inéditas" e "fundamentais".

Aplaudido de pé, Lula fez breve discurso em que destacou a importância de projetos para o desenvolvimento de atletas. "Queremos transformar o esporte em instrumento de desenvolvimento neste País. Não vamos mais falar em "gastar" com esportes. É um investimento."

Lula brincou com Éder Jofre e voltou a dizer que, com a escolha do Rio como sede dos Jogos de 2016, o Brasil jogou fora seu "complexo de vira-lata". Também receberam prêmios o ministro do Esporte, Orlando Silva, pela criação de programas de incentivo ao atleta, o governador Sérgio Cabral (PMDB), pelas ações policiais na Vila Cruzeiro e Complexo do Alemão, e o prefeito Eduardo Paes (PMDB), pela escolha do Rio como sede da Olimpíada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.