Fabiana Murer coloca boa temporada à prova em Doha

Com resultados consistentes, saltadora busca pódio no Mundial Indoor

Amanda Romanelli, O Estadao de S.Paulo

13 de março de 2010 | 00h00

Fabiana Murer não tem boas lembranças da Olimpíada de Pequim e do Mundial de Berlim, nos dois últimos anos, mas não pode se queixar da participação que fez em seu primeiro Mundial Indoor. No início de 2008, em Valencia, conquistou a medalha de bronze e se credenciou, definitivamente, para as grandes competições internacionais.

Dois anos mais tarde, a brasileira entra no Aspire Dome, em Doha, como favorita ao pódio. Seu "pior" resultado nas quatro provas que disputou este ano foi 4,70 m - justamente a marca que lhe garantiu a medalha. Pela consistente temporada, na qual também melhorou seu recorde sul-americano (fez 4,82 m em Birmingham), Fabiana sabe que tem condições de melhorar sua colocação. Hoje, a partir das 10h20 (de Brasília), ela disputa a qualificatória - a final será domingo, no mesmo horário.

"A Fabiana está tranquila, confiante na técnica e no salto que vem fazendo. Ela tem mantido consistência de resultados e isso era uma coisa que já buscávamos desde o ano passado", avalia o técnico Elson Miranda. "Acreditamos que é possível estar na zona de medalhas se ela saltar acima de 4,80 m."

Yelena Isinbayeva, como sempre, é favorita ao ouro - tem a melhor marca do ano, 4,85 m, e espera superar seu recorde mundial (5,00 m). Em teoria, quatro atletas brigam por duas medalhas: além de Fabiana, Anna Rogowska (que levou o título mundial ao ar livre graças aos erros de Isinbayeva), Svetlana Feofanova e Chelsea Johnson.

No salto triplo, Jadel Gregório tenta sua terceira medalha em Mundiais Indoor - foi prata em Budapeste (2004) e Moscou (2006) - nas qualificatórias que começam às 8h20 (de Brasília). Apesar dos elogios de seu técnico, Peter Stanley, o brasileiro não conseguiu bons resultados obteve resultados discretos na pré-temporada - o melhor deles, 16,92 m.

A principal disputa do dia, porém, deve ocorrer às 11h50. Liu Xiang e Dayron Robles entrarão na pista de Doha para as eliminatórias dos 60 m com barreiras. O grande duelo entre os barreiristas estava marcado para a Olimpíada de Pequim, mas o chinês se machucou - após ser operado, faz hoje sua reestreia em torneios internacionais. O cubano, que tirou o recorde mundial e reinou na casa do rival, está invicto na atual temporada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.