Michael Probst/AP
Michael Probst/AP

Fabiana Murer decepciona e é eliminada do Mundial de Berlim

Brasileira não passa pela marca de 4,65 m nas três tentativas e aponta problema com vara pela eliminação

17 de agosto de 2009 | 15h09

A brasileira Fabiana Murer não conseguiu brigar pela medalha na final do salto com vara no Mundial de atletismo, na Alemanha. Ela errou as três tentativas que teve para passar pelo sarrafo com 4,65 m, mas não conseguiu. O mais alto que ela passou foi 4,55 m. O dia foi péssimo também para a russa Yelena Isinbaeva, última colocada sem acertar um salto.

Veja também:

linkYelena Isinbaeva erra e perde salto com vara

mais imagens GALERIA DE FOTOS - Imagens do dia 3

especialMUNDIAL - Leia todas as notícias do torneio

forum QUIZ - Participe do teste sobre o Mundial

tabela CALENDÁRIO - Todos os eventos e horários

Decepcionada, Fabiana aponta como um possível problema a vara que usou nos saltos. "Não sei o que deu errado. Não estava sentindo muito bem o salto. Não sei explicar. Estou triste, acho que poderia ter saltado mais. Os saltos das eliminatórias foram melhores, mas não sei", diz a brasileira, em entrevista ao SporTV.

Ela emenda a explicação. "Era bem possível disputar uma medalha, estava confiante, mas acabei não conseguindo acertar. Tentei fazer de tudo. Acho que a vara estava fraca, talvez tivesse de trocar de vara. Preciso ver o salto, talvez o Élson (Miranda, técnico) tenha uma explicação. Eu optei por mexer na distância do sarrafo, que vai de zero a 80 centímetros, talvez devesse mudar a vara. Eu achei que com essa vara dava para saltar".

O problema com a vara soa como uma repetição da confusão que a atingiu na Olimpíada de Pequim - quando a vara que utilizaria no salto sumiu. Fabiana, porém, aponta a diferença com o momento: "Não saio com raiva da competição. Saio triste por não ter conseguido passar. Fiz a mesma altura da olimpíada, mas não consegui passar."

Agora, a próxima competição de Fabiana Murer é a Golden League de atletismo, a partir do próximo dia 28 de agosto. 

SEM ISINBAEVA

A disputa pelas medalhas no evento em Berlim acabou mais cedo também para a musa russa Yelena Isinbaeva. Favorita à vitória e até a bater o recorde mundial, ela não passou dos 4,80 m nas tentativa que teve - após errar duas nos 4,75 m - e deu adeus ao evento, ficando em último lugar, sem esconder o choro nas entrevistas.

O ouro ficou com Anna Rogowska (POL), com 4,75 m, com Chelsea Johnson (EUA) com a prata e Monika Pirek (POL), com o bronze (ambas com 4,65 m).

Atualizado às 15h44 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.