Fabiana não se acerta no salto e fica fora do pódio

Brasileira tem dificuldade para escolher a vara ideal, não consegue ultrapassar os 4, 30 metros e é eliminada

Daniele Carvalho, RIO, O Estadao de S.Paulo

18 de maio de 2009 | 00h00

O GP de Atletismo do Rio foi marcado por algumas decepções. Diante de uma platéia de 7 mil pessoas, havia forte torcida para Fabiana Murer, que falhou em três tentativas para ultrapassar os 4,30 metros no salto com vara. "Fiz o primeiro salto com uma vara mais flexível e acabei falhando. Resolvi trocar por uma mais rígida, não consegui ajustar o salto e não deu certo. Fiz um salto bom, mas ainda não me ajustei à vara correta", explicou. "Melhor errar agora do que no Mundial." Nos jogos de Pequim de 2008, Fabiana Murer passou de aposta a decepção após ter problemas com suas varas. Na ocasião, a atleta queixou-se do desaparecimento de uma delas. As baixas foram a ausência do medalhista olímpico de salto em distância, Irving Saladino, do Panamá, e do brasileiro Jadel Gregório, do salto triplo. Ambos se contundiram durante a semana e cancelaram participação. O medalhista olímpico português Nelson Évora, favorito na prova de salto triplo, acabou ficando em terceiro lugar. "Esta é a minha primeira prova em 2009. Ficou dentro das minhas expectativas. Ainda estou ganhando ritmo. Pretendo fazer um salto melhor já no GP de Belém", explicou Évora. O primeiro ouro do Brasil ocorreu nos 400 metros com barreiras, conquistado por Mahau Camargo Suguimati. Neto de japoneses, o goiano de 24 anos vive há 16 anos no Japão, onde se profissionalizou. "Estou muito feliz e consegui fazer a prova que eu esperava." O Brasil também teve ouro nos 800 metros, com Kleberson Davide.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.