Facilidade contra México prejudica planos do Brasil no vôlei

O vôlei muito inferior jogadopela seleção mexicana atrapalhou a preparação do Brasil para assemifinais dos Jogos Pan-Americanos. A vitória por 3 sets a 0nesta segunda-feira foi tão fácil que as brasileiras acabaramnão conseguindo o ritmo desejado antes de entrar na fasedecisiva da competição. Ao decidir poupar todas as titulares a partir do segundoset, o técnico José Roberto Guimarães esperava desenvolver ojogo das reservas, que de acordo com o treinador serão muitoimportantes para as partidas da próxima fase, provavelmentecontra Cuba e Estados Unidos. Mas faltou resposta do outro ladoda quadra. "Logicamente que isso compromete o desenvolvimento do nossojogo, até porque o México só tinha uma jogada de ataque apartida inteira", afirmou o técnico brasileiro após a vitóriapor 25-16, 25-15 e 25-17, no Maracanãzinho, em pouco mais deuma hora. "É pior ainda quando não tem rivalidade, quando você nãoentra com raiva. Você olha para o outro lado da quadra e pensa''não posso bater muito forte senão vai machucar''. O ruim nissoé que o Brasil acabou entrando um pouco no ritmo do México." Já classificado, o Brasil entrou em quadra com Thaisa,Érika e Sheilla como titulares pela primeira vez no Pan. Apartir do segundo set, Zé Roberto colocou as outras reservas emquadra e manteve o time dessa forma até o fim. No set final, as mexicanas chegaram a ficar na frente, masbastou um puxão de orelha do treinador num pedido de tempo paraque as brasileiras voltassem a dominar as ações. "O mais difícil foi manter o foco, a atenção cai umpouquinho e a gente começa a cometer erros", acrescentou ZéRoberto, cuja equipe volta à quadra na quarta-feira para asemifinal. Contra o México, a tranquilidade era tanta que ao lado daquadra as poupadas Paula Pequeno, Sassá e Mari pareciam nemestar numa partida e trocavam risadas e bate-papo. Justamente achance de descansar, após uma sequência diária de partidas etreinamentos, foi o ponto positivo visto pelas jogadoras porenfrentar um time de menor nível. "Por um lado a gente descansa e as outras (reservas) têmuma oportunidade de jogar mais tempo. Acredito que acaba sendoproveitoso, dependendo de como é encarado", afirmou Paula, quedeixou a quadra no fim do primeiro set e não voltou mais. Para Zé Roberto, a vitória de domingo por 3 sets a 0 sobrea República Dominicana, atual campeã pan-americana, haviadeixado a seleção brasileira num bom ritmo para a próxima fasee por isso ele pôde descansar as titulares. "Recuperar um pouco as jogadoras foi importante, o jogo deontem já deixou o time num bom ritmo", disse ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.