'Falam de um jeito que parece que o time não tem qualidade'

Tite voltou ao Corinthians em 2010 por gratidão de Andrés Sanchez. O então presidente não se conformava com sua demissão, quando era gerente de futebol em 2005, na época da MSI, e prometera que ainda o recontrataria. O trouxe e até hoje não se cansa de espalhar que é um dos técnicos que mais conhece de táticas.

O Estado de S.Paulo

27 de junho de 2012 | 03h04

Estudioso, até nas horas vagas pesquisando sobre os adversários (deixando até de namorar, como revela, a contragosto de dona Rose) e também buscando os erros de sua equipe para corrigi-los, Tite está perto de consolidar seu nome no hall de treinadores tops, para muitos onde já está.

Ganhar a final da Libertadores do Boca seria, para esse simpático gaúcho de Caxias do Sul, de 51 anos, a consagração por anos e anos de dedicação à bola. E a chance de entrar de vez para a história corintiana. "Não tenho essa pretensão, apenas orgulho do trabalho que estou fazendo", mostra humildade o 'cara' que para muitos, é o principal responsável pela chegada corintiana às finais, até mesmo pelo time, com o qual ele sempre procura dividir os méritos. "Sem atleta de qualidade não se chega a lugar algum. As pessoas falam de um jeito que parece que esse time não tem qualificação." / F.H.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.