Divulgação
Divulgação

Falcão marca, Brasil bate o Irã e fatura o Grand Prix pela 9ª vez

Com resultado, Brasil manteve a hegemonia no torneio

Estadão Conteúdo

08 Novembro 2015 | 12h37

Foi suado, mas a seleção brasileira de futsal conquistou o Grand Prix pela nona vez em sua história. Neste domingo, diante de um ginásio lotado em Uberaba, a equipe derrotou o forte Irã por 4 a 3, com direito a gol de Falcão, e voltou a ser campeão do torneio, realizado anualmente no País desde 2005.

Com o resultado deste domingo, o Brasil manteve a hegemonia no torneio, tendo o conquistado em nove das dez edições. Somente em 2010, o País perdeu o troféu para a Espanha. Já o Irã chegou à sua terceira decisão, repetindo os feitos de 2007 e 2009, mas como naqueles anos acabou derrotado pela seleção.

Mas se em 2007 e 2009 o Brasil goleou, desta vez a realidade foi bem diferente. Quem começou melhor foi o Irã, que acertou a trave com Tayebi. Minutos depois, os visitantes abriram o placar após falha da defesa adversária. Ghodrat aproveitou e desviou de cabeça para a rede.

O gol acordou o time brasileiro, que empatou logo em seguida. Diego ficou com a sobra após boa jogada de Leco e marcou. A virada veio a oito minutos do intervalo. Rodrigo cobrou falta pela esquerda, o chute saiu mascado, mas foi o suficiente para enganar o goleiro adversário, que aceitou.

Faltava o gol de Falcão, que sairia ainda antes do intervalo. Em rápido contra-ataque, ele ficou de frente para o goleiro e mostrou a conhecida tranquilidade para trocar de pé e marcar com estilo. No início da etapa final, Rodrigo puxou novo contragolpe e tocou no meio. Ahmad vinha correndo e tocou contra a própria meta, marcando o quarto do Brasil.

O placar adverso, no entanto, não desanimou o Irã, que foi para cima e diminuiu com Mahdi, em chute forte de dentro da área. A três minutos para o fim, Tayebi aproveitou novo erro de marcação para fazer o terceiro. Os momentos finais foram de pressão iraniana, mas o Brasil soube se fechar e segurar o resultado para comemorar.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.