Apichart Weerawong/AP
Apichart Weerawong/AP

Falcão marca 2, Brasil vira e vai à semifinal do Mundial de Futsal

Seleção venceu a Argentina no campeonato em Bangcoc e enfrentará a Colômbia

AE, Agência Estado

14 de novembro de 2012 | 09h21

BANGCOC - Com uma virada dramática diante da Argentina, a seleção brasileira venceu por 3 a 2, nesta quarta-feira, em Bangcoc, na Tailândia, e garantiu vaga na semifinal do Mundial de Futsal. O Brasil perdia por 2 a 0 até quando faltavam pouco mais de 7 minutos para o fim do segundo tempo, mas reagiu com um gol de Neto e dois do herói Falcão, sendo o último deles na prorrogação.

Com o triunfo sobre os argentinos, os brasileiros terão pela frente na próxima fase a Colômbia, que venceu duelo contra a  Ucrânia, também nesta quarta. Mas, independentemente de quem será o rival, o certo é que o time comandando pelo técnico Marcos Sorato jogará por uma vaga na decisão a partir das 10h30 (de Brasília) desta sexta-feira.

Os outros dois duelos das quartas de final também serão disputados nesta quarta. Em um deles, a Espanha enfrentará a Rússia. E o ganhador desta partida medirá forças na semifinal contra o vencedor do jogo entre Itália e Portugal.

O JOGO

Agora garantido na semifinal, o atual campeão mundial fez um primeiro tempo para esquecer diante dos argentinos. Irreconhecível, o time nacional não conseguia justificar seu favoritismo e encarou um rival que não se acovardou e partiu para o ataque desde o início.

Cuzzolino, logo aos 2 minutos, obrigou Tiago a praticar boa defesa, e pouco depois Basile acertou a trave. O Brasil respondeu em seguida, com duas chances seguidas em um mesmo lance. Primeiro Fernandinho parou no goleiro Elías e no rebote Simi cabeceou para nova defesa do argentino.

E o equilíbrio prevalecia, com os dois times alternando bons ataques, até que Jé começou a complicar a vida dos brasileiros. Em um intervalo de menos de três minutos, o brasileiro conseguiu "cavar" sua expulsão. Primeiro cometeu falta por trás em Borruto, segurou o rival e foi punido com o cartão amarelo. E, pouco depois, ao proteger a bola com um tranco acintoso em um adversário, recebeu o segundo amarelo e consequentemente o vermelho, deixando o Brasil com um homem a menos em quadra.

Mesmo em desvantagem numérica de jogadores em quadra durante dois minutos, os brasileiros seguraram a pressão até que Neto, Rafael, Simi e Gabriel recompuseram o quarteto de linha do Brasil.

Entretanto, nervosa em quadra, a seleção tomou dois gols em menos de um minuto. Quando faltavam 3min30s para o final da primeira etapa, Rescia recebeu pela direita em rápido contra-ataque e chutou no canto direito baixo de Tiago, que ainda tocou na bola antes dela entrar. E, desarrumada em quadra, a seleção sofreu o segundo a 2min53s para o fim desta etapa. Borruto fez boa jogada individual, gingou para cima da marcação e chutou mascado, mas a bola acabou entrando entre as pernas de Tiago, que deixou passar um arremate defensável.

REAÇÃO SOFRIDA

Na etapa final, contando com a volta do titular Wilde, que não atuou no primeiro tempo, o Brasil começou com tudo e imprimiu forte pressão no início. Entretanto, Elías vivia uma jornada inspirada e, para completar, tinha sorte, pois Rafael, Vinícius, Simi e Falcão, nesta ordem, pararam na trave em fortes finalizações.

Falcão, por sinal, ainda em fase de recuperação de lesão muscular e com paralisia facial causada pelo estresse da contusão, só entrou em quadra com 6 minutos do segundo tempo, mas estava longe das condições ideais. Do outro lado, com boa vantagem no placar, os argentinos se fechavam atrás e só saíam nos contra-ataques.

Mas, quando tudo parecia perdido, Neto finalmente conseguiu furar o paredão argentino. Ao receber com liberdade pela esquerda, Neto soltou a bomba na diagonal no canto baixo de Elías, aos 12 minutos. E, pouco mais de um minuto depois, o Brasil chegou o empate justamente com o seu maior astro. Falcão recebeu de costas para o gol e, mesmo marcado de perto, girou e finalizou muito rápido, de novo no canto esquerdo baixo de Elías, que nada pôde fazer.

Após o empate, o Brasil seguiu pressionando, mas chegou ao limite de cinco faltas e passou a, consequentemente, marcar os rivais com mais cautela. E o jogo acabou indo para a prorrogação.

FALCÃO DECIDE

Estourado no limite de cinco faltas, o Brasil sofreu um pouco no primeiro tempo da prorrogação, pois novas infrações causariam tiros livres diretos. Mas o Brasil conseguiu se segurar, Tiago fez ao menos duas boas defesas e, quando faltavam apenas 18 segundos para o fim da primeira etapa do tempo extra, Falcão recebeu escanteio batido pela direita e finalizou de primeira, de longe, de novo no canto esquerdo baixo de Elías, que tocou na bola antes de a mesma entrar nas redes.

Após o gol, Falcão não suportou a emoção e foi às lágrimas. Em seguida, o astro foi sacado de quadra e, no banco de reservas, seguiu emocionado, tendo em vista o momento de superação que atravessa neste Mundial.

Sem Falcão em quadra na etapa final da prorrogação, o Brasil suportou a pressão argentina, que começou a marcar mais forte no ataque e também acabou estourando o limite de cinco faltas cometidas. E, sofrendo até o último segundo, a seleção assegurou de forma épica a sua vaga na semifinal de mais um Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.