Chaiwat Subprasom/Reuters
Chaiwat Subprasom/Reuters

Falcão se diz 'privilegiado' por novo título na seleção

Experiente, jogador marcou gol de empate em momento crítico da partida contra a Espanha

Agência Estado

18 de novembro de 2012 | 13h54

BANGCOC - Depois de sofrer com uma lesão muscular na panturrilha e paralisia no lado direito do rosto, o astro do futsal Falcão pôde comemorar neste domingo o título do Mundial da Tailândia, após a vitória da seleção brasileira sobre a Espanha, por 3 a 2, em Bangcoc. Debilitado fisicamente, o jogador esteve em quadra por poucos minutos, mas voltou a ser decisivo, marcando o segundo gol do Brasil - que no momento estava perdendo por 2 a 1 - e levando a partida para a prorrogação.

 

Emocionado com a conquista de seu segundo mundial, o jogador disse se considerar "privilegiado" por ter feito parte do grupo mesmo com as lesões. "O meu maior prêmio é ter o privilégio de participar de um momento como esse. Estava fora, me machuquei no primeiro jogo, achei que não estaria mais aqui. Joguei alguns minutos, isso foi o maior prêmio para mim", comentou, em entrevista ao SporTV.

 

Mesmo atuando em poucos momentos - foram 37 minutos no total ao longo da competição -, Falcão marcou seu nome na campanha brasileira. Ele marcou dois gols na difícil vitória de virada sobre a Argentina nas quartas de final, por 3 a 2, na prorrogação, e voltou a ser decisivo neste domingo.

 

O próprio jogador exaltou seu poder de decisão ao longo da competição. "Joguei 37 minutos durante toda a competição e passei por situações que ficarão eternizadas. Marquei quatro gols no torneio, e três foram totalmente decisivos. Fico feliz, achei que não jogaria mais o Mundial, mas agora estou aqui para comemorar."

 

A atuação de Falcão foi elogiada também por outro dos líderes desta seleção. O capitão Vinícius, que levantou o troféu do Mundial pela segunda vez - a outra havia sido em 2008, no Brasil -, fez questão de elogiar o astro, após ser publicamente exaltado pelo próprio Falcão.

 

"O Vinícius merece mais do que ninguém levantar esse troféu", disse Falcão. "O que o Falcão decide, não existe. Ele cansou de me dar títulos. Não jogou muito tempo hoje (domingo) por causa da lesão, mas foi decisivo igual. Ele merece todos os elogios. Aliás, todos merecem", respondeu Vinícius.

 

Um dos mais elogiados após o título foi o herói deste domingo. Neto marcou dois dos três gols brasileiros na decisão, sendo o terceiro um golaço, a 19 segundo para o fim da prorrogação. Essencial ao longo da campanha, o fixo brasileiro foi premiado com o troféu de melhor jogador do Mundial, e, após receber a homenagem, mal conseguia explicar a sensação. "Esta final foi inesquecível, sonhada. Ninguém esperava que um fixo pudesse ganhar esse prêmio. Busquei demais isso e agora vamos comemorar muito", limitou-se a dizer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.