Falta de patrocínio faz dupla pensar em parar após Londres

A fluminense Lara tem 24 anos. Paulistana, Nayara é um ano mais nova. Com a parceria iniciada após o Pan do Rio, em 2007, e a experiência de duas olimpíadas, o dueto tem tudo para chegar no auge em 2016, no Rio. Mas as atletas podem não competir em casa. Estão preocupadas com o futuro e cogitam parar após os Jogos de Londres. O motivo é a falta de patrocínio.

O Estado de S.Paulo

26 de fevereiro de 2012 | 03h04

As atletas recebem o apoio do clube Paineiras do Morumbi e da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos. Mas não possuem o apoio individual que, segundo elas, é fundamental. "O nado virou profissão, mas não recebemos como profissionais", diz Nayara, que por causa de Londres trancou a faculdade de Educação Física. "E já estamos com 23, 24 anos...", pondera Lara, formada em Administração. "Estamos avaliando. Esse é o nosso terceiro ciclo olímpico e nada. Se não começarmos a ganhar o suficiente, é realmente possível que a gente pare."

A dupla é agenciada por uma empresa de marketing esportivo mas, nem assim, conseguiu patrocínio. "Surgiram algumas propostas que não se concretizaram. Não sabemos se é o esporte que não tem visibilidade, se não tem mídia suficiente", aponta Lara.

O fato é que, para Nayara, o aclamado investimento para 2016 não apareceu. "Não adianta o apoio vir no ano da Olimpíada. Até lá serão três anos batalhando e abrindo mão de tudo." /A.R.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.