Falta de vento atrapalha seletiva olímpica da vela

Condições de vento e ondas foram desafiadoras e cansativas segundo Marcelo Jordão, da classe Star

Agência Estado

10 de fevereiro de 2008 | 19h44

Foi um dia difícil para os velejadores que participam da Seletiva Brasil de Vela, que se realiza na Baía de Guanabara e indicará os representantes do País nas Olimpíadas de Pequim. Com ventos que não passaram dos seis nós, os atletas ficaram cerca de seis horas na água para conseguir completar duas regatas. O desgaste físico foi grande.   "As condições adversas de vento e onda são desafiadoras e cansativas. Tenho a desvantagem de não estar totalmente em ritmo de competição", comentou Marcelo Jordão, companheiro de Lars Grael na classe Star.   "Foi mais um dia duro, mas o importante foi manter a regularidade e a liderança", disse Robert Scheidt, que faz dupla com Bruno Prata e lidera no Star. "Vencemos uma regata e ficamos em segundo na outra, o que foi excelente."   No Finn, Jorge João Zarif, o mais jovem competidor da Seletiva com apenas 15 anos, venceu a quarta regata da seletiva e assumiu a segunda colocação na classificação geral, atrás apenas de Eduardo Couto. Na RS:X masculino, Ricardo Winicki, o Bimba, lidera com sobras.   Star1- Scheidt/Prada, 6 pontos 2- Grael/Jordão, 9 3- Pascolato / Seifert, 20   Finn 1- Eduardo Couto, 6 pontos 2.- Jorge João Zarif, 9 3.- César Gomes Neto, 10   RS:X Masculino1- Ricardo Winick, 4 pontos 2- Albert Carvalho, 8   RS:X Feminino1- Patrícia Freitas, 7 pontos 2 - Catarina Freitas, 8 3- Patrícia Castro, 12.

Tudo o que sabemos sobre:
VelaPequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.