Falta pouco para os 400 jogos de Marcos

A contagem regressiva de Marcos para chegar ao jogo de número 400 está próxima do fim. Se o técnico Vanderlei Luxemburgo não poupar o goleiro na quarta-feira, contra o Vasco, pela Copa Sul-Americana, a expressiva marca deve chegar no domingo, também contra o time carioca, no Palestra Itália.Marcos realizou ontem seu 398º jogo com a camisa alviverde. É, sem dúvida, um dos atletas mais importantes da equipe. "O Marcos mostrou mais uma vez por que é campeão do mundo", elogiou Luxemburgo após a vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro. "Jogador decisivo é quem defende a bola do jogo, assim como ele fez contra a Alemanha (na final do Mundial de 2002)", lembrou. "E hoje (ontem) ele defendeu novamente a bola do jogo."Longe das lesões que o atormentaram no passado, Marcos tem sido destaque em quase todo jogo do Palmeiras. Foi fundamental no título estadual e agora sonha em levantar mais uma taça em 2008. Contra o Cruzeiro, fez ao menos duas difíceis defesas - uma em cada etapa.O capitão do time só não chegará aos 400 jogos no domingo, se Luxemburgo deixá-lo na reserva quarta-feira. O treinador avisou que vai poupar alguns jogadores, mesmo precisando reverter o placar de 3 a 1 que o Vasco fez no jogo de ida. "Vou recuperar meus atletas e ver se entro novamente com um atacante", falou. Alex Mineiro e Kléber, que estavam suspensos ontem, podem pintar como novidade. "O importante agora é a gente estar concentrado, visando o título brasileiro", contou, dando a entender que deve mesmo entrar com time misto no meio de semana.CRUZEIRO VÊ DESPERDÍCIOApós perder a vice-liderança do Campeonato Brasileiro no confronto direto com o Palmeiras, o Cruzeiro lamentou o desperdício das várias chances de gol que criou durante a partida. O técnico Adílson Batista disse que sua equipe parou no goleiro palmeirense. "Estivemos de frente com o Marcos, em condição de fazer, mas não conseguimos", afirmou.Para o zagueiro e capitão Espinoza, faltou atenção nos momentos decisivos da partida. "Faltou capricho e um pouco de concentração para o nosso time", explicou. "Tivemos bons momentos, mas não conseguimos aproveitá-los."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.